Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Santos abandona esquema de Dorival e já tem a ¿cara de Adilson"

Adilson implantou o retorno do tradicional 4-4-2, e descartou o 4-3-3 utilizado por Dorival em 2010

Samir Carvalho, iG Santos |

O técnico Adilson Batista já conseguiu adaptar seu esquema tático em apenas três jogos no comando do Santos. O treinador fez a equipe santista esquecer a formação tática de Dorival Júnior, que conquistou o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil na temporada passada. Adilson implantou o tradicional 4-4-2 no lugar do 4-3-3 de Dorival.

Em 2011, com a chegada de Adilson Batista, o Santos atuou na estreia do Campeonato Paulista, diante do Linense, no esquema de Dorival Júnior. No entanto, a formação com três atacantes – Maikon Leite, Keirrison e Zé Eduardo – não agradou o novo comandante, que fez a mesma reclamação de Dorival em 2010: falta de equilíbrio entre defesa e ataque.

Na segunda e terceira rodada do Paulista, Adilson Batista “mostrou sua cara”, e implantou o esquema 4-4-2, utilizado pelo treinador no Cruzeiro e Corinthians. Adilson escalou Adriano e Pará como volantes, e deixou a armação das jogadas a cargos de Elano e Robson, que ajudam na marcação quando estão sem a bola, como gosta o técnico.

Entretanto, Adilson Batista ainda prefere utilizar o esquema 4-4-2, mas conhecido como “losango”, onde a equipe atua com um volante na frente na zaga, e mais dois jogadores atuando pelos lados, com a função de marcar e sair para o ataque. Nesse esquema, Elano seria o volante da direita.

Nessa formação, o meio-campo perfeito de Adilson deve ter Arouca, Charles e Paulo Henrique, que se recuperam de lesões, jogando ao lado de Elano. O ataque pode ser formado por Neymar e Diogo, enquanto o sistema defensivo seria quase o mesmo da temporada passada: Rafael, Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo.

Divulgação
Dorival apostou no esquema 4-3-3 em 2010
Santos ficou “refém” do esquema de Dorival
Em 2010, Dorival teve que se ajustar as características dos jogadores santistas, e apesar de testar diversas formações, o treinador acostumou o time a jogar no esquema 4-5-1 com variações para o 4-3-3.

No primeiro semestre de 2010, o meio-campo do Santos era formado com dois volantes (Arouca e Wesley), Paulo Henrique na criação das jogadas, dois atletas abertos pelas pontas (Robinho e Neymar), e apenas André jogando como pivô no ataque.

Porém, após a saída do treinador no início do segundo semestre, a equipe santista ficou “refém” do esquema de Dorival Júnior, e não obteve êxito no Brasileiro, sob o comando do interino Marcelo Martelotte. Isso porque, além de Dorival, o Santos também perdeu Robinho, Wesley e André, que foram para a Europa, e Ganso, com uma grave lesão no joelho.

Sendo assim, a equipe terminou a temporada jogando no mesmo esquema tático, mas sem sucesso com os substitutos: Rodrigo Possebon, Marquinhos, Zé Eduardo e Keirrison.

 

Leia tudo sobre: santosadilson batistadorival junior

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG