Temos que jogar contra o impossível - Futebol - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Santistas falam em honrar a camisa e Neymar dispara: Temos que jogar contra o impossível

Após o empate contra o Vitória, nesta quarta-feira, jogadores do Santos mudam discurso e descartam possibilidade do título brasileiro

Samir Carvalho, iG São Paulo |

  • O jogo: Em jogo fraco, Santos empata com o Vitória e fica longe do título
  • Leia as últimas notícias do Santos no iG Esporte
  • iPhone: iG lança aplicativo de futebol em tempo real. Baixe aqui
  • Twitter do iG Esporte: Principais notícias, fatos inusitados, vídeos e opinião
  • Após o empate contra o Vitória por 1 a 1, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, os jogadores do Santos mudaram o discurso dos últimos jogos em relação ao título do Campeonato Brasileiro. Após sonharem com a conquista nas últimas rodadas, os atletas deixaram o campo dizendo que apenas vão honrar a camisa no restante da temporada. Neymar, inclusive, declarou que a equipe lutará contra o impossível para levantar a taça. 

    Temos que jogar contra o impossível. Todos os jogos a equipe foi bem, mas os resultados não vieram, não saíram. O título ficou longe, muito difícil, afirmou Neymar.

    O camisa 11 reconheceu que a conquista da Copa do Brasil no primeiro semestre, que garantiu ao Santos a vaga na Copa Libertadores da América de 2011, deixou a equipe mais relaxada na disputa do Campeonato Brasileiro.

    O psicológico do jogador quando atingimos dois títulos dá uma relaxada. Conquistamos o objetivo. Infelizmente isso aconteceu e agora é a honrar a camisa do Santos, disse.

    Além de Neymar, o meia Marquinhos e o goleiro Rafael também utilizaram o mesmo discurso e descartaram a possibilidade de título. Porém, os jogadores amenizaram as vaias que receberam da torcida após o término do jogo contra o Vitória, na Vila Belmiro.

    Ficou difícil, mas a gente recebe (vaias), vamos honrar até o fim. O torcedor é assim mesmo, infelizmente as coisas passam, mas ninguém pode dizer que não estamos brigando, disse Rafael.

    Já Marquinhos não gostou de receber vaias da torcida. Se eu me incomodasse com vaias, não seria jogador de futebol. Agora é ter paciência, jogar para honrar a camisa do clube, concluiu.

    Leia tudo sobre: campeonato brasileirofutebolsantos

    Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG