Trio campeão da Libertadores convocado para a Copa América deixa Santos com mais convocados, ao lado de italianos

Mano Menezes chamou três jogadores do Milan, entre eles Robinho
AP
Mano Menezes chamou três jogadores do Milan, entre eles Robinho
A chegada nesta quinta-feira dos três jogadores do Santos à Argentina, para se juntar ao elenco da seleção brasileira para a disputa da Copa América, traz algo raro nos últimos anos: uma equipe do país cedendo atletas em mesmo número do que times europeus. O trio santista se iguala ao trio do Milan e o trio da Inter de Milão, os clubes que mais tiveram convocados para a competição .

Elano , Paulo Henrique Ganso e Neymar  comemoraram o título da Libertadores sobre o Peñarol, nesta quarta-feira à noite, o que explica a convocação de três jogadores santistas - um time com atletas de qualidade. Elano, aos 30 anos, foi titular com Dunga na Copa da África do Sul, mas ganhou nova chance com Mano e pode até aparecer entre os 11 na estreia contra a Venezuela, dia 3 de julho, em La Plata. Ganso está recuperado de lesão e é a esperança (a única) de Mano para armação com qualidade na seleção . E Neymar... Bem, o jovem de 19 anos é o craque precoce do time.

Veja abaixo quantos jogadores e quais times cederam atletas à seleção:

Internazionale (ITA) 3 (Júlio César, Maicon e Lúcio)
Milan (ITA) 3 (Thiago Silva, Robinho e Alexandre Pato)
Santos 3 (Neymar, Elano e Paulo Henrique Ganso)
Barcelona (ESP)  2 (Daniel Alves e Adriano)
Chelsea (ING) 2 (David Luiz e Ramires)
Liverpool (ING) 1 (Lucas Leiva)
Tottenham (ING) 1 (Sandro)
Shakhtar Donetsk (UCR) 1 (Jadson)
Benfica (POR) 1 (Luisão)
Fenerbahçe (TUR) 1 (André Santos)
Atlético de Madrid (ESP) 1 (Elias)
Grêmio 1 (Victor)
Fluminense 1 (Fred)
Botafogo 1 (Jefferson)
São Paulo 1 (Lucas)

Os sete jogadores que atuam no Brasil convocados por Mano também são exceção. Na última Copa América, por exemplo, o número foi menor: Dunga levou quatro “nacionais” para a Venezuela, em 2007. Em 2004, Parreira chamou 12, mas os jogadores que atuavam na Europa abriram mão de disputar a competição no Peru. Mesmo assim não havia três atletas do mesmo clube brasileiro, o que mostra a força do elenco santista na atualidade – e o Brasil foi campeão nas duas vezes, vencendo a Argentina na decisão.

“Em 2004 fazíamos parte de um time chamado B. Mas os jogadores que atuam no Brasil, hoje em dia, disputam um campeonato com muita qualidade. Eu acompanho, por exemplo, as atuações do Victor e do Jefferson e estão muito bem. O campeonato é disputado e com grandes jogadores”, disse o goleiro Júlio César, da Inter de Milão, falando dos concorrentes Victor, do Grêmio, e Jefferson, do Botafogo . Este só foi convocado porque a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) autorizou a convocação de três goleiros, como em Copas do Mundo.

Todos aceitaram
Copa América costuma causar calafrios nos jogadores que atuam na Europa porque acontece bem no meio das férias. Como não tem o glamour de uma Copa do Mundo, é raro um treinador ter todos os principais jogadores à disposição. Dunga em 2007 e, principalmente, Parreira em 2004 ouviram não. Kaká não quis ir há quatro anos e Ronaldinho Gaúcho desistiu em 2004, por exemplo.

“O time está comprometido com essa competição. Todos sabem da importância de uma Copa América, de uma Copa das Confederações (em 2013) para a definição do grupo final da Copa do Mundo em 2014”, disse Mano Menezes na apresentação do grupo, no Rio de Janeiro.

Mano Menezes não ouviu não. Por isso, talvez, a responsabilidade para ser campeão em sua primeira competição oficial desde que assumiu, em julho de 2010, mesmo jogando na casa da Argentina e do melhor jogador do mundo, Messi.

Neymar e Elano com membro da comissão técnica antes de amistoso. Santistas em alta
Mowa Press
Neymar e Elano com membro da comissão técnica antes de amistoso. Santistas em alta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.