Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Sanchez crê que saída do C13 pode motivar criação de nova liga

Presidente espera que decisão do Corinthians dê início a um novo ciclo no futebol brasileiro

Bruno Winckler, iG São Paulo |

A recente verve revolucionária de Andrés Sanchez que o motivou a desfiliar o Corinthians do Clube dos 13 para negociar por conta própria o direito de transmissão dos seus jogos faz o presidente do clube sonhar com novos tempos para o futebol brasileiro. Ele vislumbra que outros clubes façam como o Corinthians, se desliguem da entidade para formar uma “verdadeira rede de união dos clubes”.

A ideia de Sanchez é que as grandes agremiações brasileiras organizem uma liga independente nos moldes do que acontece em outros países, como a Inglaterra com a Premier League, onde são os clubes que comandam a primeira divisão nacional.

AE
Sanchez propõe uma nova liga de clubes

Era esta a intenção do C13 na criação da Copa União de 1987, em um rompimento com a CBF, mas que logo foi extinta e até hoje gera polêmica – vide o imbróglio envolvendo a Taça das Bolinhas. “O clube dos 13 serve só para discutir televisão. Só para isso eu acho que não serve. Tinham que ampliar e fazer muito mais coisas. Criar uma liga decente, discutir calendário, talvez com o Corinthians deixando outros também o façam e a gente mude o futebol brasileiro de verdade”, disse Sanchez.

Para Sanchez, uma nova união dos clubes, sob outra estrutura que a não a já existente do Clube dos 13, provocaria a criação de uma liga totalmente comandada por uma comissão dos clubes, como é na Inglaterra.

“Acho que uma nova liga, ou uma nova associação dos clubes se faz necessária. O que existe hoje (com o Clube dos 13) não é o ideal e isso eu já declarei lá antes de sair e outros concordam comigo. Sei que minha atitude não vai mudar nada agora, mas é um começo. Se melhorar 20% para frente já vai ser uma vitória”, disse Andrés, propondo uma diminuição de jogos por ano e um período maior de pré-temporada para os clubes.

“Alguém tem que sentar e discutir o que está acontecendo. Não é possível que hoje um time jogue até dezembro, tire férias, e só tenha 10 dias para se recuperar antes de começar jogar quarta e domingo. Não há entidade que brigue para mudar isso”, disse Andrés, que além de período maior de pré-temporada, também quer que os grandes clubes tenham um intervalo de folga na metade do ano (entre julho e agosto) para poder realizar amistosos com grandes times europeus.

“Tem que se discutir também que se abra uma data em julho e agosto para os times poderem fazer uma excursão, jogar amistosos. Nada disso é discutido hoje em dia. Sei que uma mudança em tudo não é possível, mas uma hora isso tem que começar”, disse Andrés. "Não sei se essa nova liga vai nascer, isso só depois de 2012, com outros clubes procurando seus direitos. Não tenho bola de cristal, mas quem sabe", completou.

"Se tiver que dois campeonatos como em 1987 (a CBF criou uma liga própria com times de fora da Copa do União) vai ter. Não é o que eu queria, mas vai ser o que vai acontecer se for preciso".

Leia tudo sobre: corinthiansc13andrés sanchez

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG