Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Saída de Roberto Carlos é marcada por seu discurso ambíguo

Jogador alegou falta de segurança e pediu para deixar o Corinthians. No mesmo dia disse querer ficar

Bruno Winckler, iG São Paulo |

Bruno Winckler
Roberto Carlos fez trabalhos físicos nesta quinta
Qual é a verdade no que diz Roberto Carlos? Depois de dois dias turbulentos do lateral-esquerdo no Corinthians, o jogador, por meio das suas próprias palavras, deixou e continuou no clube no intervalo de algumas de horas. Tudo por conta da falta de firmeza no que diz.

Os jornais Lance e Diário de São Paulo publicaram na sexta-feira entrevistas com o jogador em que ele descarta sua permanência no Corinthians. Ele afirma que vem sofrendo ameaças de membros filiados à facções organizadas da torcida corintiana e que por isso buscaria seu caminho longe do clube. Ele tem propostas milionárias do Los Angeles Galaxy e do Anzhi Makhachkala, da Rússia.

Na sexta-feira, liberado dos treinamentos à tarde, o jogador esteve com seu empresário Fabiano Farah, o presidente Andrés Sanchez e o diretor de futebol Duíilio Monteiro Alves para selar sua saída do clube. Porém, durante a reunião, por volta das 17 horas, o jogador disse ao iG, por telefone, que sua vontade era continuar no clube. "Quero continuar, mas a questão de segurança ainda me deixa preocupado. O Corinthians é um grande clube e, se eu tiver essas garantias de segurança para minha família, continuo. É o que eu quero".

Duas horas depois, a assessoria de imprensa do Corinthians garantiu que a rescisão do contrato do jogador era fato consumado e que Andrés Sanchez prestaria esclarecimentos neste sábado. Após saber da informação, Roberto Carlos, por telefone, disse que "assessoria está mais bem informada" que ele. Neste sábado, às 10 horas, Sanchez confirmará a saída de Roberto Carlos do Corinthians.

Roberto Carlos chegou ao Corinthians em janeiro de 2010. Participou de 60 dos 70 jogos do clube na última temporada. Neste ano participou dos quatro primeiros jogos até o duelo de ida contra o Tolima, dia 26 de janeiro. De lá para cá não jogou mais, ficando fora do jogo da volta contra os colombianos, por conta de uma lesão na coxa direita, e das partidas contra São Bernardo, Palmeiras e Ituano pelo Paulistão.

Leia tudo sobre: corinthiansroberto carlos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG