Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Roth garante Alecsandro e Renan, mas lembra força do grupo colorado

o Renan fez grandes defesas nos últimos jogos, mas aí teve um lance e o torcedor já fica com um pé atrás e se manifesta. Mas ele vem treinando e fazendo sua parte, disse

Gazeta Esportiva |

Dois jogadores em especial têm sido alvo de críticas da torcida colorada, que pede mudanças no time a um mês e meio do início do Mundial de Clubes.

O goleiro Renan e o centroavante Alecsandro, de desempenho contestado neste Brasileirão, sofreram novas vaias dos torcedores após a partida deste sábado, contra o Santos, no Beira-Rio. O técnico Celso Roth defendeu seus atletas das críticas, mas lembrou que o elenco é forte, caso sigam não correspondendo dentro de campo.

"Futebol não é assim. O titular da posição é o Alecsandro. Ele teve um período machucado e é daqueles que precisam jogar para ficar em plena forma. Mas paralelamente há o Leandro Damião, que em 15 minutos fez aquilo que procuramos o jogo todo", salienta Roth, sobre a disputa de posição no ataque. Damião substituiu Alecsandro aos 30 minutos do segundo tempo do duelo contra o Peixe. Seis minutos depois, marcou o gol colorado no empate em 1 a 1.

Tanto Alecsandro quanto seu companheiro de ataque titular, Rafael Sobis, não estão 100% fisicamente. A avaliação é do próprio Roth, que pede repetição de escalação para ambos, sem esquecer dos bons reservas que há no Beira-Rio. "Nossa expectativa quanto à recuperação deles para o Mundial é boa, mas paralelamente caminham os outros. Para isso existe o grupo. É preciso aproveitar as oportunidades", avisa.

Sobre a camisa 1, Roth também defendeu a continuidade de seu atual titular: "o Renan fez grandes defesas nos últimos jogos, mas aí teve um lance e o torcedor já fica com um pé atrás e se manifesta. Mas ele vem treinando e fazendo sua parte. Precisamos de calma, persistência e sequência de trabalho", explicou o técnico.

Renan tem sido alvo de críticas dos torcedores em razão de falhas em vários gols sofridos pelo Inter desde que ele voltou ao Beira-Rio, em julho. Destacam-se na contagem um erro na semifinal da Libertadores, contra o São Paulo, e dois gols de falta sofridos em chutes de longe de Marcos Assunção, em jogo diante do Palmeiras. Contra o Santos, Renan foi vaiado pela torcida após sair mal em lance que quase resultou em gol paulista. O lateral Nei salvou em cima da linha, de bicicleta, com o goleiro já batido após sair mal da meta e perder dividida para Edu Dracena.

O empate com o Santos deixou o Inter a oito pontos dos líderes Fluminense e Cruzeiro. Mesmo que as chances de título tenham minguado a quase zero, Roth pede um time forte na reta final. "Nossa prioridade sempre foi o Mundial, mas vamos continuar lutando com todas as forças pelo Brasileiro, pois é assim que se mantém o alto nível de competição", assegura, contrariando pedido dele próprio antes do Gre-Nal, quando revelou achar "lógico" escalar um time reserva no clássico contra o Grêmio.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirointernacional

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG