Tamanho do texto

Goianos vêem o Salgueiro, adversário da próxima rodada, se aproximar e a fuga da zona de rebaixamento se complica

Acompanhado por poucos torcedores no Serra Dourada, o Vila Nova empatou por 2 a 2 com o Barueri, na noite desta sexta-feira, e tem remotas esperanças de permanecer na Série B.

O experiente atacante Roni viveu momentos distintos durante o jogo. Ele foi o responsável por igualar o placar que Leo Gamalho havia inaugurado a favor dos visitantes, mas perdeu um pênalti pela terceira vez na competição e deixou nas mãos do goleiro Juninho a chance da virada. Edson Borges acertou cabeçada aos 37 minutos e parecia decretar o triunfo paulista, mas Davi ainda encontrou tempo para deixar tudo igual aos 44 da etapa final, em gol que nem mereceu vibração.

A situação dos goianos ficou muito complicada. Com possibilidade de somar no máximo mais 18 pontos até o fim da Segundona, o Tigre ocupa a antepenúltima posição e tem nove de desvantagem em relação a Icasa e Goiás (30 a 39). Essas são as duas equipes que devem ser ultrapassadas para que os comandados de Roberto Cavalo deixem a zona da degola.

Para piorar, a diferença pode aumentar para 12 pontos ainda nesta 32ª rodada, já que tanto Icasa quanto Goiás entram em campo nesse sábado. Além de secar os adversários diretos, o Vila precisa acabar com o jejum de sete jogos sem triunfar (três empates e quatro derrotas) para sonhar com a salvação. Na próxima rodada, sexta-feira que vem, o rival será o Salgueiro, fora de casa.

Já 11º colocado Barueri, que foi a 44 pontos, perdeu a chance de pular para a oitava posição e alimentar suas chances de subir. A diferença para o G-4, que poderia ser de apenas três pontos, é de cinco e ainda pode aumentar no complemento da rodada.

O jogo

A ínfima presença de público nas arquibancadas parece ter desanimado as duas equipes, que fizeram primeiro tempo muito pouco movimentado. Ousado, o time de Barueri aproveitou-se da instabilidade do rival para abrir o placar em uma boa estocada aos 28 minutos, quando Leo Gamalho recebeu livre e tocou na saída do goleiro.

Na etapa final, o jogo ficou emocionante. Aos 13 minutos, Roni começou a se tornar protagonista do jogo e, após cobrança de falta, chutou duas vezes para balançar as redes e decretar a igualdade. Mas o atacante se tornou vilão pouco depois, quando bateu pênalti a meia altura no canto direito do goleiro Juninho, que espalmou.

O Vila Nova diminuiu o ritmo, sentindo o baque pela chance que seu principal jogador desperdiçou. Tanto que Edson Borges subiu sozinho para aproveitar escanteio da direita e, de cabeça, recolocar os visitantes em vantagem.

Mas os goianos não desistiram. Aos 44, o camisa 10 Davi chamou a responsabilidade e, com um bonito chute da entrada da área, decretou a igualdade. A vibração dos jogadores em campo foi nula, o que praticamente refletiu o sentimento na torcida, com poucas esperanças nas arquibancadas.

FICHA TÉCNICA
VILA NOVA 2 x 2 Barueri

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data: 21 de outubro de 2011, sexta-feira
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Francisco Leone de Oliveira
Assistentes: Edilson Frasão Pereira e Gilvan Cavalcante dos Santos Medrado
Cartões Amarelos: Roni (Vila Nova); Alison, Ademir Sopa, Edson Borges e Alex Lima (Grêmio-SP)

Gols:
BARUERI: Leo Gamalho, aos 28 minutos do primeiro tempo, e Edson Borges, aos 37 do segundo tempo.
VILA NOVA: Roni, aos 13 minutos do primeiro tempo, e David, aos 44 minutos do segundo tempo.

VILA NOVA: Michel Alves; Victor Ferraz, Gabriel, Ben Hur e John Lenon; Juninho (Jô), Ricardinho, Túlio Souza (Wando) e David; Roni e Betinho (Leandro Cearense)
Técnico: Roberto Cavalo

GRÊMIO-SP: Juninho; Alison (Alex Lima), Rodrigo Arroz, Edson Borges e Guto; Alê, Anselmo, Ademir Sopa e Giovanni Augusto (Zé Carlos); Saldanha (Marcelinho) e Leo Gamalho.
Técnico: René Simões

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.