Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Ronaldinho: 'No Brasil é mania achar que com mais de 30 não serve'

Convocado para amistoso contra Gana, craque do Flamengo aposta que seguirá com o Brasil até 2014

Marcel Rizzo, iG São Paulo |

Ronaldinho Gaúcho acha que serve, e muito, para a seleção brasileira. Ao participar de um evento de patrocinador no início da tarde desta quinta-feira em São Paulo, ao lado de Paulo Henrique Ganso, Lucas e do ex-capitão Cafu, o jogador do Flamengo disse que é mania no Brasil achar que jogador com mais de 30 anos não serve mais para defender a equipe nacional.

“Meu bom momento no Flamengo me fez voltar à seleção, com certeza. Aqui no Brasil é mania achar que jogador com mais de 30 anos não serve mais, bem diferente do que acontece lá fora. Estou em condições de voltar à seleção”, disse Ronaldinho Gaúcho, de 31 anos, convocado para enfrentar Gana na próxima segunda-feira, em Londres – ele, Ganso e Lucas embarcam na noite desta quinta para a Inglaterra.

Ronaldinho elogiou a geração que terá a seu lado até a Copa do Mundo de 2014, se mantiver o bom rendimento. “É uma geração de muito talento, muito parecida quando eu comecei, com a minha geração, que acabou vingando, ganhando uma Copa do Mundo. Quero fazer parte desse grupo, dividir responsabilidade, experiência”, disse o jogador.

Marcel Rizzo
Ronaldinho Gaúcho participou ao lado de Lucas, em evento de patrocinador nesta quinta-feira


Não foi a primeira convocação de Ronaldinho com Mano Menezes – ainda pelo Milan, ele defendeu o Brasil na derrota para a Argentina, em novembro de 2010, 1 a 0 na cidade de Doha (Catar). Na entrevista coletiva após chamá-lo para enfrentar os ganeses, Mano disse que a tendência é Ronaldinho ser o protagonista até 2014.

“Respeito muito quem fala sobre futebol, quem disse que talvez eu não fosse jogar tão bem. Eu sabia que poderia jogar pelo Flamengo, e sei que posso jogar bem pela seleção”, disse o camisa 10 do Flamengo. Ele não teme nem voltar a Porto Alegre para enfrentar o Grêmio, dia 30 de outubro, clube que o deixou depois de ser revelado e que abriu mão da negociação para voltar ao preferir fechar com o Flamengo.

“Acho que a pressão (jogar em Porto Alegre) vai ser igual a de jogar com o Flamengo fora de casa, sempre pressionando. Não vai ser diferente”, desconversou.

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG