Ex-jogador participou de um debate parlamentar e criticou uma emenda da Lei Geral da Copa do Mundo

O deputado federal e ex-jogador Romário fez duras críticas à Fifa nesta terça-feira, durante um debate parlamentar sobre o projeto de lei que estabelece as normas para a realização da Copa do Mundo de 2014 , em solo brasileiro.

"A Fifa não pode mandar no Brasil", declarou Romário, que criticou uma emenda contida no projeto da Lei Geral da Copa do Mundo, que exime a entidade de responsabilidade em caso de danos sofridos pelos torcedores e defendeu a ideia de que a responsabilidade seja solidária.

Veja a tabela completa da Copa de 2014

O projeto de lei faz parte das garantias oferecidas pelo Brasil à Fifa e procura adequar a legislação do país com as exigências do organismo para a realização do evento. Outros parlamentares apoiaram o ex-atleta. O deputado José Rocha declarou que não se pode permitir a criação de "um Estado Fifa dentro do Estado brasileiro".

Não é a primeira vez que Romário manifesta sua insatisfação com a lei em debate na Câmara. No mês de outubro, o ex-atacante utilizou sua conta no twitter para defender as leis brasileiras vigentes. "O Brasil tem que acabar com esse negócio de ser escravo da Fifa. A soberania do país tem que ser respeitada", escreveu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.