Capitão do São Paulo disse ainda que está recuperado da pancada que levou no rosto na noite de quarta

O goleiro Rogério Ceni foi um jogadores mais assediados do São Paulo no desembarque da equipe no aeroporto de Congonhas, um dia após a vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-MG , em Sete Lagoas, que valeu a liderança do Brasileirão. No fim do jogo, o capitão levou uma pancada de Richarlyson na cabeça e disse que já está bem, pronto para o jogo de sábado contra o Grêmio

Siga o iG São Paulo no Twitter e receba as informações do time do Morumbi

Rogério Ceni tira foto com torcedor
Vipcomm
Rogério Ceni tira foto com torcedor
"Tomei remédio para dor de cabeça já. O que está doendo mesmo é a pancada no rosto. Se fosse só por isso eu não deixaria de jogar" disse Rogério, que, quando foi tirar foto com duas torcedores prensou o dedo em um carrinho de bagagem e ficou sentindo dores no local. "O dedo eu dei uma prensada lá, mas não sou dúvida por isso também", brincou.

Entre para a Torcida Virtual do São Paulo e convide seus amigos

Sobre o triunfo em Minas Gerais, Ceni avaliou que poderia ter sido um duelo cheio de gols e defendeu a postura defensiva que o São Paulo apresentou no segundo tempo de jogo. "Poderia ter sido 3 a 2, 4 a 3. Ontem casualmente aconteceu de conseguirmos nos defender bem e, dentro do que nós temos condições, a gente se propos a jogar de uma forma que o jogo se apresentou", disse o camisa 1.

Assim como Lucas , Rogério disse que é importante alcançar a ponta isolada do campeonato, fato que traz confiança para a equipe. "É importate ser líder na última rodada, né? Mas, momentaneamente, traz confiança e moral. Sabemos que temos nossas limitações, nós não somos o melhor time do campeonato, mas conseguimos as vitórias nos três primeiros jogos, o que pode fazer diferença no futuro", comentou.

O jogo na Arena do Jacaré foi o 100º seguido de Rogério Ceni com a camisa são-paulina. O jogador se disse envaidecido por alcançar a marca já nos últimos suspiros de sua carreira.

"Foi bem legal, porque chegar aos 38 anos jogando 1 ano e 4 meses sem sair do campo é algo que, como profissional, me envaidece, me engrandece. Fico muito feliz, principalmente vestindo a camisa do São Paulo", concluiu.

Diante do Grêmio, sábado, no estádio do Morumbi, Rogério Ceni fará sua 101ª partida consecutiva pela equipe. O recorde neste quesito é do arqueiro Suli, que defendeu o São Paulo na década de 60 e atuou por 107 vezes seguidas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.