Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Robinho assume papel de Ronaldo com os mais jovens da seleção

Atacante se rende ao "Fenômeno" e toma para si função de conselheiro de Neymar, Ganso e Lucas na seleção

Bruno Winckler, Marcel Rizzo e Paulo Passos, iG São Paulo |

Gazeta Press
Robinho brinca com Ronaldo no treino no Pacaembu
Um dos mais experientes jogadores da seleção brasileira , Robinho tomou para si nesta segunda-feira o papel que sempre foi de Ronaldo durante sua passagem pela equipe nacional. O "Presidente", apelido de Ronaldo entre os jogadores da seleção, ganhou a alcunha por ser o conselheiro dos jogadores mais novos. Entre eles já esteve Robinho. Em 2003, quando foi convocado pela primeira vez para a seleção o atacante de 27 anos ouviu conselhos do "Fenômeno", já bicampeão do mundo. Agora, sem tirar de Ronaldo o apelido, Robinho admite que será para Neymar , Lucas, Ganso e outros jovens atletas, o que o "Presidente" foi para ele no início da sua trajetória pela seleção.

"O Ronaldo sempre me deu muitos conselhos, me ensinou a fazer gols já que eu tinha dificuldade na finalização no começo. As coisas boas que ele passou para mim tenho de passar para frente para os mais jovens como Neymar, Lucas, Ganso. Mas presidente só tem um e sempre vai ser o Ronaldo", disse Robinho, após os treinos desta segunda-feira no Pacaembu. A seleção enfrenta a Romênia nesta terça e Ronaldo jogará por 15 minutos no final do primeiro tempo .

"Ronaldo sempre foi meu ídolo, sempre acompanhei o Ronaldo e estou feliz por estar na sua despedida. Triste pelo futebol, já que ele é um amigo, mas feliz por estar participando. Quando cheguei à seleção para minha primeira convocação tinham outros jogadores de nome, mas foi quando vi o Ronaldo que fiquei mais emocionado. Eu cresci o vendo jogar e ele continua sendo meu ídolo", disse Robinho, que chegou a ser capitão da seleção nos primeiros cinco jogos da gestão de Mano Menezes. Ele perdeu a tarja para Lúcio, capitão na última Copa, e convocado por Mano para os dois últimos dois amistosos.

"O Lúcio é um líder, tem muito tempo na seleção e ele é excelente. Um grande líder. Não me importo em usar a faixa. Posso ajudar com a tarja no meu braço ou não. Os mais experientes sempre tentam ajudar e eu não sou diferente", disse Robinho. A primeira convocação do atacante aconteceu em abril de 2003, para amistoso contra o México.

null

Leia tudo sobre: ronaldorobinhoseleção brasileiramano menezesvídeo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG