Pavone fez gol, mas perdeu pênalti. Torcedores ficaram revoltados, incendiaram carros e há policiais e fãs do clube feridos

O River Plate , um dos grandes da Argentina, foi rebaixado para a Segunda Divisão pela primeira vez em sua história de 110 anos. O empate contra o pequeno Belgrano de Córdoba, por 1 a 1, não bastou para evitar a queda, já que na primeira partida a equipe do interior venceu por 2 a 0. A tarde deste domingo no estádio Monumental de Nuñez teve todo um cenário trágico: gol logo no início, pênalti desperdiçado, goleiro maluco tentando o gol a qualquer custo, gol em impedimento e, claro, muito, mas muito choro. Antes mesmo de acabar a partida, os jogadores do River choravam em campo...

O jogo teria três minutos de acréscimo, mas o árbitro preferiu terminar a partida antes, porque alguns torcedores, na arquibancada, tentavam invadir o gramado. Os policiais jogavam água com mangueiras para acalmar os "hinchas", com um detalhe: a temperatura ao final da partida em Buenos Aires era de cerca de 8 graus. Já do lado de fora, houve confronto entre torcedores e policiais, que deixou ao menos 30 feridos, de ambos os lados. Os exaltados destruíram a padaria do estádio, incendiaram carros e quebraram tudo o que viam pela frente no entorno do Monumental, localizado em um bairro de classe alta da capital argentina. Jornalistas foram agredidos e carros da imprensa depredados.  

Caruso, do River, lamenta o rebaixamento
AFP
Caruso, do River, lamenta o rebaixamento
Aos cinco minutos, Pavone abriu o placar para o River, levando os mais de 50 mil torcedores que lotaram o Monumental à loucura e à esperança. Deixado no banco na partida de Córdoba pelo técnico JJ López, o atacante se transformaria de herói a vilão no segundo tempo, ao perder um pênalti marcado pouco depois do Belgrano empatar o jogo, com Farré.

Logo após o empate da equipe adversária, aos 16 minutos, torcedores do River, que cantaram e apoiaram o time desde o início, caíram no choro. Senhores, mulheres, crianças, desesperados com o rebaixamento iminente. O pênalti, aos 21 minutos, levou esperança, mas o erro de Pavone selou a queda do River, que não teve forças para reagir depois de um bom primeiro tempo.

Medo
A delegação do River Plate saiu escoltada pela polícia do gramado e assim será do estádio. Nesta segunda-feira o presidente do clube, o ex-jogador e ex-treinador Daniel Passarela, concederá uma entrevista para falar do futuro do clube. É certo que o treinador López será demitido. Alguns torcedores tentaram invadir o camarote da diretoria, mas foram impedidos por um segurança e por uma mulher, que ficava em frente à porta pedindo para que se acalmassem.

Na Argentina, a fórmula para o rebaixamento é diferente de como é no Brasil, que derruba os quatro últimos colocados. Há uma média de pontuação dos três últimos campeonatos, para assim definir dois rebaixados diretamente e outros dois que enfrentam o terceiro e o quarto colocados da Série B, em um confronto mata-mata chamado de “Promoción” – caso de River x Belgrano. 

Desespero e violência marcam rebaixamento do River. Veja as fotos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.