Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Rivaldo reclama de preconceito por idade

Meia disse que superar os problemas gerados pelo seus 38 anos é o seu principal desafio na temporada

iG São Paulo |

A passagem do meia Rivaldo pelo São Paulo começou cercada de expectativas, mas também de desconfiança. Apesar do golaço marcado em sua estreia, ele tem sofrido com lesões e não esconde que o seu principal desafio na temporada é jogar bem, mesmo com uma idade elevada. Aos 38 anos, em entrevista para o site da Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados), ele relata que existe até um preconceito contra ele por causa disso.

"Aqui (no São Paulo) faço todos os treinamentos, de manhã ou tarde, para me preparar. Se você treina com o grupo, tem condição de jogar 90 minutos. Não sou poupado porque tenho 38 anos. Chega o jogo, e aí falam isso. A idade chega, e tem esse preconceito com o jogador. É um pouquinho chato", reclamou o meia, que não participou da vitória do São Paulo contra o Grêmio Prudente, neste domingo, por 1 a 0.

Apesar desses problemas, Rivaldo mostrou que está de bem com a vida. Empolgado por estar no São Paulo, ele não poupou elogios ao clube: "Nunca joguei em um clube com estrutura assim. Não tem como não treinar bem, aqui é um paraíso", comentou ele, antes de exaltar também o bom ambiente entre os jogadores do elenco do São Paulo, que está na liderança do Campeonato Paulista.

Depois de ser desfalque do São Paulo nas últimas rodadas, Rivaldo deve voltar a ser opção para o técnico Paulo César Carpegiani. Contra o Paulista, nesta quarta-feira, ele já deve ter condições de jogo, após um difícil período de recuperação. "Aos 38, tenho a maior alegria de treinar, de jogar, e espero nunca cair nessa preguiça de não querer treinar, para não ficar gordo, barrigudo", declarou o meia.

Ao voltar aos gramados, Rivaldo sentirá novamente o assédio de fãs ilustres, os próprios jogadores de futebol. Ele revelou que, por enfrentar jogadores muito mais novos do que ele, até seus adversários às vezes o tratam como ídolo em campo: "É bem legal. Às vezes tem jogador que está te marcando duro e até pede desculpa: 'pô, o treinador mandou ficar perto e te marcar. Sei que você joga muito', mas aí eu digo que está tudo bem, que faça seu trabalho", contou o camisa dez do São Paulo.

Getty Images
Zidane e Rivaldo se enfrentaram na Espanha
Zidane e a Copa de 1998
Na entrevista Rivaldo também comentou sobre seus melhores momentos, como quando estava no Barcelona. Lá ele enfrentava ninguém menos que o francês Zidane, mas diz que ambos se respeitavam demais em campo. "Até me lembro de jogo contra o Real Madrid, quando o Zidane pegava na bola, e eu ia 'de migué' para cima dele. E era a mesma coisa comigo. Quando pegava a bola, sentia que ele me respeitava. Sentia isso de ambas as partes".

Ao comentar sobre outro confronto contra Zidane, na final da Copa do Mundo de 1998, Rivaldo só lamentou. "Tenho a opinião de que, se o Ronaldo estivesse bem, 100%, a derrota ia acontecer, porque nós jogamos mal", disse Rivaldo, lembrando da convulsão que o "Fenômeno" teve exatamente no dia da decisão. "É triste, ainda mais ouvindo tantos boatos depois, tanta besteira. Até a ponto de chegar a minha mãe e perguntar se tínhamos ganhado alguma coisa para perder. Mas as pessoas não sabem o que é o sofrimento de você perder uma final", criticou.

 

 

Leia tudo sobre: São PauloRivaldoZidane

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG