Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Rivais apostam em boa média de seus atacantes para vencer o clássico

Ronaldo e Ricardo Oliveira têm bom aproveitamento nos últimos jogos e chegam para confronto entre Corinthians e São Paulo em ótimo momento

Bruno Winckler e Levi Guimarães, iG São Paulo |

Se depender do faro de gols e do bom momento dos dois principais atacantes de São Paulo e Corinthians o clássico de domingo no Morumbi tem tudo para ser repleto de gols. Ricardo Oliveira e Ronaldo são as apostas de suas equipes para conseguir a vitória neste confronto e o motivo para eles serem os escolhidos está nos números. Ambos têm ótima média de gols no ano e é natural que as fichas dos rivais sejam depositadas nestes dois artilheiros.

Ronaldo ficou um longo período sem atuar. Entre maio e outubro fez apenas três partidas no Brasileirão. Mas nesta reta final de campeonato voltou ao time mostrando que pode ser decisivo novamente. Em quatro jogos Ronaldo já marcou três gols legítimos ¿ foram mais dois mal anulados contra o Guarani no jogo que marcou o seu retorno. Ao todo foram cinco gols em sete jogos no Brasileirão, uma média muito superior a de qualquer outro atacante do elenco corintiano. Iarley, por exemplo, marcou oito gols em 30 jogos no Brasileiro. Em 61 jogos pelos Corinthians, Ronaldo já marcou 34 gols. Em 2010 foram 23 jogos e 11 gols.

Ricardo Oliveira não fica atrás. Nas suas duas passagens pelo São Paulo o atacante  tem 14 gols em 28jogos, uma média de um gol a cada dois jogos. Em 2006, na primeira vez que vestiu a camisa do clube, foram 12 jogos e seis gols. Neste ano já são 16 jogos e oito gols. Como não marcou gols contra o Cruzeiro, na quarta-feira, basta manter sua média de gols em um jogo sim e outro não para ajudar o São Paulo a vencer o clássico. Com o técnico Paulo César Carpegiani, que treinou o time em seis partidas, Ricardo Oliveira é o principal artilheiro com quatro gols.

São dois grandes atacantes (Ronaldo e Ricardo Oliveira) que valorizam o espetáculo que é feito de grandes artistas. Tanto um lado como outro está caracterizado pela presença de jogadores experientes, não só os dois. Alguns campeões mundiais. Isso valoriza bastante e é importante num jogo como esse ter a presença de grandes jogadores, disse o técnico são-paulino nesta sexta-feira.

No lado corintiano o otimismo pelo bom momento de Ronaldo fica evidente na declaração daqueles que convivem com o Fenômeno no dia a dia. O Ronaldo está feliz, jogando com alegria e motivado para jogar até o final da competição. O que vemos nele é uma alegria enorme de poder voltar e se recuperar das dores. É bom não só para a gente, mas também para o torcedor, que vê um grande jogador dentro de campo, disse Roberto Carlos, melhor amigo de Ronaldo no elenco corintiano.

Além de artilheiros, assistentes
Se a marca de gols de Ronaldo nos últimos jogos condiz com sua fama de goleador, outra característica do Fenômeno está sendo aflorada nesta sequência de partidas. Ronaldo tem desempenhado também a função de garçom para seus colegas. Ele ainda não deu nenhuma assistência, o passe para um gol, mas isso só não aconteceu por falha dos seus companheiros no momento da finalização. Contra o Flamengo, por exemplo, Ronaldo deixou Ralf e Elias na cara do gol. Porém, os dois não aproveitaram bem a oportunidade dada pelo Fenômeno.

Ele pode jogar do jeito que quiser. Ficando paradinho, lá na frente, ele já ajuda muito a gente, disse Roberto Carlos. O técnico Tite avalia que esta nova característica de Ronaldo só favorece o time. Isso porque mesmo mudando sua forma de jogar, ele não perdeu a precisão nas finalizações. Ele hoje é mais um pivô, abre espaços para os companheiros, uma característica que não era a dele, que era mais velocista, de arrancada. Agora está dando assistências, mas na finalização continua cirúrgico. Tomara que continue com esse equilíbrio, disse o treinador.

No São Paulo, Ricardo Oliveira tem a mesma função de Ronaldo no Corinthians, fazer gols, mas também já mostrou que pode ser útil servindo seus parceiros de ataque. Foi assim no clássico contra o Santos quando deu dois passes para gols de Dagoberto. Acho que a torcida está confiante na gente, estamos demonstrando muita vontade em campo, defendendo com muito orgulho a camisa do São Paulo e tenho certeza que a torcida esta do nosso lado. é um jogo diferente, bom, e vamos também em busca da vitória porque não resta alternativa

Leia tudo sobre: campeonato brasileirocorinthiansronaldosão paulo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG