Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Riquelme diz que trabalharia com Maradona no Boca Juniors

Meia rompeu com o ídolo argentino em 2008, ao criticar as convocações do então técnico da seleção

Agência Estado |

O meia Juan Roman Riquelme surpreendeu nesta quarta-feira ao afirmar que não teria problemas em trabalhar com Maradona, forte candidato a assumir o comando do Boca Juniors. O jogador rompeu com o ídolo argentino em 2008, ao criticar as convocações do então técnico da seleção.

"Tenho 32 anos e sei separar as coisas. O presidente [do Boca, Jorge Amor Ameal] é quem decide. E, se decidir por Maradona, ele fará seu trabalho como treinador e eu, como jogador. E estaremos no mesmo barco para que tudo saía bem", declarou Riquelme, em entrevista ao canal Fox Sports.

O Boca Juniors está à procura de um novo técnico desde a demissão de Claudio Borghi após a derrota no clássico com o River Plate, na semana passada. Julio César Falcioni, atualmente no Banfield, foi o primeiro a ser cotado para o cargo. Nesta semana, surgiram boatos de que Maradona, ídolo no clube, poderia receber uma proposta para comandar o time.

"Jamais vou me meter na escolha de um treinador ou de um companheiro de equipe. Posso estar ou não de acordo, mas respeito as decisões e trato de jogar o melhor que posso", completou o meia, que não jogará mais este ano, por conta de uma lesão no tendão de Aquiles.

Riquelme entrou em atrito com Maradona há dois anos, quando renunciou à seleção por discordar das decisões do treinador. Para o atleta, o ídolo argentino não tinha critérios para fazer suas convocações nas Eliminatórias da Copa do Mundo. Desde então, o meia não foi mais chamado para defender a seleção argentina. Maradona acabou sendo demitido após a goleada sofrida para a Alemanha, nas quartas de final do Mundial.

Leia tudo sobre: argentinafutebol internacionalmaradonatreinadores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG