Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Richarlyson sente perseguição da arbitragem após de nova expulsão

Volante do Atlético-MG recebeu seis vermelhos em um ano e diz que é marcado por árbitros brasileiros

Victor Martins, iG Belo Horizonte* |

A expulsão de Richarlyson no jogo com o América-MG foi a segunda dele desde que chegou ao Atlético-MG. Mais uma vez o jogador leva o cartão vermelho antes de um clássico com o Cruzeiro. Dessa vez ele nem sequer fez uma falta durante os apenas 30 segundos que ficou dentro de campo. O vermelho recebido no sábado foi o sexto do volante em um ano.

O excesso de expulsões até faz Richarlyson pensar em perseguição por parte da arbitragem. “Eu creio que sim, principalmente pela arbitragem paulista. Mas vou procurar esquecer e neutralizar. Não adianta entrar em campo achando que o árbitro vai me prejudicar, então tenho que ser o mais transparente possível dentro das partidas para não dar abertura nenhuma para o árbitro me expulsar”.

Dos seis cartões vermelhos que recebeu no período, três foram por reclamação, como o último. Pelo São Paulo, as expulsões contra o Avaí e o Fluminense, pelo Brasileiro do ano passado, assim como contra o América-MG, o volante foi expulso em lances que não fez falta. Já contra o Universitário, do Peru, pela Libertadores, e Palmeiras, ainda pelo São Paulo, e diante do Tupi, no Atlético-MG, foram expulsões por faltas violentas ou pelo segundo cartão amarelo.

Com a nova expulsão, mais uma vez Richarlyson está fora de uma partida contra o Cruzeiro. O jogaodr se mostra muito chateado com a situação, já que ainda não conseguiu disputar o maior clássico de Minas Gerais desde a sua chegada ao Atlético-MG.

“Eu fiquei muito triste pela expulsão e queria agradecer os jogadores que correram em dobro e mereceram a vitória. Se já é ruim ficar fora de um jogo contra o América, imagina de um clássico com o Cruzeiro? Fico muito triste, muito chateado, mas acima de tudo eu sei o que falei, sei minha postura como profissional. Espero que na próxima vez que eu estiver dentro de campo eu possa ser respeitado”.

Se em 2010 as finais do Mineiro foram com arbitragem local, a situação mudou para 2011. Muitos erros fizeram clubes e até a própria Federação Mineira de Futebol tomarem essa decisão. Novato no estadual de Minas, Richarlyson questiona a decisão tomada ainda no arbitral, em novembro do ano passado, e pede que as finais do Mineiro sejam com árbitros locais.

“Isso é uma demonstração que o comando da arbitragem de Minas precisa rever alguns conceitos. Um cara vem de São Paulo apitar um jogo de extrema importância, uma semifinal entre Atlético e América. Vem aqui fazer o que quer e depois vai para São Paulo e não ouve nada. Ele não viveu o campeonato, não conhece a maioria dos jogadores. Agora era a hora do árbitro Mineiro, que apitou em Teófilo Otoni ou então foi lá no Funorte (Montes Claros)”.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG