Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Ricardo Teixeira volta de Miami e retoma atividades na CBF

Presidente da entidade já assinou uma resolução e suspendeu medida que anulava a eleição da Federação Piauiense de Futebol

iG São Paulo |

Getty Images
Ricardo Teixeira retomou suas atividades no comando da CBF nesta segunda-feira
Após boatos acerca de sua renúncia da presidência da CBF (Confederação brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira voltou de viagem à Miami e retomou nesta segunda-feira suas atividades a frente da entidade.

Leia mais: “Se deus quiser, ele fica”, diz Andrés sobre Ricardo Teixeira

Logo em seu primeiro dia de trabalho, Teixeira assinou uma resolução e suspendeu a medida que anulava a eleição da Federação Piauiense de Futebol. O comunicado foi divulgado no site da CBF.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Nesta quinta-feira Ricardo Teixeira participa da assembleia geral da entidade. Na reunião, o dirigente deve intermediar uma reforma no estatuto da CBF. A convocação é uma reação do presidente à movimentação de alguns dirigentes de federações estaduais, desde que as especulações sobre sua possível renúncia tornaram-se mais fortes.

Confira ainda: Ricardo Teixeira convoca Assembleia Geral Extraordinária na CBF

Vale lembrar que Teixeira divulgou uma nota na última sexta-feira antes do carnaval informando que retomaria o trabalho após o feriado, em meio à rumores acerca de sua saída da entidade.

E mais:
Na estreia, Andrés vira para-raio de Ricardo Teixeira

O presidente da CBF está envolvido em um caso de corrupção dentro da Fifa, com a empresa ISL, já falida. Além de comandar a entidade, Teixeira é membro do COL (Comitê Organizador da Copa do Mundo) ao lado de Ronaldo e Bebeto.

O dirigente brasileiro também tem seu nome ligado agora a um outro escândalo. Documentos revelados pelo jornal "Folha de S. Paulo" apontaram que o cartola tem ligações com a empresa que superfaturou o amistoso da seleção brasileira contra Portugal, em 2008, no Distrito Federal. O caso foi investigado pela Polícia Civil de Brasília e está na Justiça Federal.


 

Leia tudo sobre: ricardo teixeiracbf

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG