Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Ricardo Berna afirma não ter preferência pelo novo técnico do Flu

Goleiro lamenta saída de Muricy, pede que todos se cobrem e diz que no elenco tricolor não tem moleque

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Grato ao técnico Muricy Ramalho, que lhe deu a vaga de titular do Fluminense a nove rodadas do fim do Brasileirão de 2010, Ricardo Berna não esconde que sentirá saudade do ex-comandante. No entanto, o goleiro não quer mais falar sobre a saída do treinador e afirma que todos no elenco  devem assumir sua parcela de culpa pelo momento conturbado do clube.

“O momento é de focar no trabalho. Cada um aqui sabe sua função. Não temos o futuro comandante definido, mas temos profissionais na comissão técnica que podem seguir dando ordens no planejamento do nosso trabalho. Aqui não tem moleque, somos todos profissionais. Cada um tem que se cobrar para as coisas saírem bem até que se defina o nome do novo técnico”, afirmou o goleiro.

Embora afirme que não tem preferência por um técnico linha dura ou por um de mais diálogo, Ricardo Berna espera que a definição não se arraste por muito tempo.

“Jogador não tem que ficar comentando sobre contratação de técnico. A diretoria que tem que definir qual será o melhor perfil para o clube. Eles verão as opções no mercado e definirão isso internamente. Caberá ao elenco se adaptar ao novo comandante. Seria bom que isso fosse definido antes da partida contra o América (MEX), que será decisiva para nosso futuro na Libertadores”, explicou Berna.

Na única vez que comentou sobre a saída de Muricy Ramalho, Ricardo Berna reconheceu que foi pego de surpresa com a notícia. Mas apesar da gratidão e do carinho pelo treinador, o goleiro disse que está na hora de colocar um ponto final nesse assunto.

“Se disser que a decisão dele não nos surpreendeu, estarei mentido. Ele mesmo disse que era melhor para a vida dele e explicou seus motivos. Temos que respeitar, mas prefiro não polemizar sobre isso. As pessoas já se manifestaram, é vida que segue. Vamos sentir saudade, mas temos que esquecer, seguir o nosso trabalho e correr atrás do nosso interesse, que é vencer”, concluiu.

Muito criticado nesse início de temporada, o zagueiro Gum faz coro às palavras de seu companheiro de defesa.

“Infelizmente, no futebol brasileiro isso acontece, e temos que lidar com isso. O Muricy é um cara excepcional, mas o Fluminense está aqui e tem que seguir em frente. Nossos objetivos não mudaram, tanto no Carioca quanto na Libertadores. Não é que dá, mas temos que esquecer isso e pensar apenas em jogar e honrar a camisa do Fluminense”, afirmou Gum.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG