Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Rhodolfo amplia cobranças no São Paulo

Zagueiro admitiu que todos no clube estão devendo e aumentou o número de auto-críticas do elenco

Gazeta |

Costumeiramente dono de cobranças públicas principalmente após os jogos, Rhodolfo resolveu reaparecer com uma constatação que, teoricamente, pode mexer com os brios dos colegas, como deseja a diretoria. Se o recém-contratado Emerson Leão é conhecido por dar entrevistas diminuindo a empolgação de seus comandados, o zagueiro tratou de assumir que todos estão devendo.

São Paulo é o sexto no Brasileirão. Veja a tabela

"Precisamos melhorar nosso futebol. Não estamos jogando nem metade do que a equipe sabe", declarou o defensor, ciente de que a diretoria, principalmente o presidente Juvenal Juvêncio, estão corretos na exigência por mais qualidade em campo - o mandatário citou o próprio Rhodolfo como atleta de Seleção Brasileira que não tem rendido como pode.

"Temos consciência de que estamos mal", admitiu o camisa 4, com um incentivo para que a vaga na Libertadores seja conquistada no Campeonato Brasileiro, único meio restante para ir à principal competição das Américas depois da eliminação na Copa Sul-americana. A ordem é já iniciar no domingo a reação diante do Vasco em vez de lamentar os tropeços.

Entre na Torcida Virtual e comente sobre a má fase do São Paulo

"Não é tudo que queríamos, mas agora não adianta só ficar reclamando, reclamando. Infelizmente, estamos nessa situação. Agora é pensar no Brasileiro para nos classificarmos à Libertadores, jogar melhor do que estamos jogando e tentar vencer. Temos que pensar só no Vasco", indicou Rhodolfo, contrariado com a estatística de apenas uma vitória nos últimos nove jogos.

O efeito de alerta do zagueiro, porém, parece ser tão ineficiente quanto as tentativas de Rogério Ceni e Luis Fabiano, pois alguns atletas continuam falando em título brasileiro - a própria diretoria se recusa a abrir mão da conquista, ainda possível matematicamente apesar dos oito pontos de distância para o líder Vasco. Já há convicção, contudo, de que a primeira colocação pode ser descartada no caso de derrota em São Januário.

"Nos próximos sete jogos [que restam no Brasileiro], temos que brigar por Libertadores impondo a nossa qualidade e dando o nosso melhor. Se Deus quiser, vamos conseguir uma classificação melhor no final da temporada", projetou Cícero, incomodado como todos no Morumbi com o atual sexto lugarl.

Leia tudo sobre: são paulobrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG