Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Reservas do São Paulo iniciam campanha por chances com Carpegiani

Treinador deve escalar nove reservas contra o Oeste e todos querem deixar o chefe com "dor de cabeça boa"

Levi Guimarães, iG São Paulo |

O discurso parece ensaiado. Com as atenções voltadas para o jogo contra o Goiás pela Copa do Brasil, o técnico Paulo César Carpegiani vai escalar o São Paulo praticamente apenas com jogadores reservas na última partida da primeira fase do Campeonato Paulista, contra o Oeste. E todos que vão ganhar essa chance rara sonham em agarrá-la de vez.

Os únicos titulares que devem jogar no domingo, em Mogi Mirim, são o goleiro Rogério Ceni, que completará 90 partidas consecutivas sem desfalcar o time, e o meia Lucas, que está suspenso para o jogo de quarta-feira. Nas outras nove posições devem ser escalados jogadores que tem começado as partidas no banco e alguns que sequer vinham sendo relacionados.

Nomes como o do lateral-direito Edson Ramos, do zagueiro Luiz Eduardo e dos volantes Cleber Santana e Wellington devem aparecer na escalação inicial de Carpegiani depois de terem sido aproveitados pouquíssimas vezes até agora na temporada 2011. E até o veterano Rivaldo, uma das maiores estrelas do elenco, só está garantido por ser um jogo sem grandes responsabilidades.

Nesse grupo de jogadores que mistura jovens em início de carreira e veteranos que vivem momento de baixa, uma característica é comum a todos. A insatisfação com o banco de reservas. Por isso, antes do jogo chamado de “ótima oportunidade” por todos eles, a postura adotada é de candidatos em campanha por um lugar de titular.

O iG reuniu abaixo algumas das declarações dadas ao longo da semana por alguns dos atletas que querem de todo jeito mostrar serviço a Carpegiani. Após o jogo de domingo, restará ao treinador escolher os eleitos para uma chance nos jogos decisivos da Copa do Brasil e do Paulistão. Ou simplesmente manter a equipe que vem atuando.

Edson Ramos, lateral-direito

É provavelmente quem mais vai comemorar a chance no domingo. Apresentado no São Paulo há quase dois meses, finalmente fará seu primeiro jogo com a camisa do clube. “Não tive oportunidades porque o Jean estava muito bem. Desde que cheguei o São Paulo pegou uma sequência grande de vitórias e isso acaba pesando para o treinador”, disse.

“Cheguei no clube há dois meses e poderei ter a minha primeira oportunidade. É uma boa hora. É o último jogo da fase de classificação, mas será a minha grande chance. Espero ajudar os companheiros da melhor maneira possível e conseguir os três pontos, pois sabemos que terminar na liderança é importante”, completou.

Júnior César, lateral-esquerdo

De todos os reservas que devem atuar domingo, é provavelmente o que está mais perto de conquistar a titularidade. Juan, que vem tendo prioridade, tem tido apresentações irregulares, e Júnior foi bem no clássico contra o Corinthians e na goleada do último domingo, por 4 a 1, sobre o Noroeste.

“É uma briga normal por posição, saudável. Quem define é o Carpegiani, mas me encontro bem nos treinos e nas oportunidades que tive. Meu pensamento é dar essa dor de cabeça pra ele, me aplicar ao máximo e buscar meu objetivo que é ter espaço entre os 11 titulares”, disse.

Cleber Santana, volante

“Encostado” por Carpegiani, vem se mostrando decepcionado com a falta de oportunidades, mas apesar de ter recebido diversas propostas de outros clubes não aceita deixar o São Paulo se precisar ter o salário reduzido. Por isso, a intenção é reconquistar o espaço perdido para Casemiro, Carlinhos Paraíba e Rodrigo Souto.

“Comecei o ano bem, jogando, mas a equipe estava em formação e saíram alguns jogadores. Às vezes falam que tenho problema com o Carpegiani, mas não é verdade, é só uma opção dele. Isso só vai mudar com o meu trabalho, sem colocar a culpa em ninguém. Preciso voltar a jogar para me sintir útil. É difícil, complicado, mas não posso me abater”, afirmou.

Rivaldo, meia

Depois de chegar como a estrela que de fato é, o veterano perdeu espaço depois de ficar três semanas no departamento médico. Nas últimas semanas, começou a maior parte das partidas no banco, mas sempre entrando no segundo tempo. Ele acredita ter condições de ser titular, e afirma que a idade (faz 39 anos na próxima semana) não vai atrapalhar.

“Estou tendo as minhas oportunidades e quando entro procuro dar o meu melhor. Acredito que no momento certo posso ser titular do São Paulo. Sou um jogador normal como outro qualquer e estou trabalhando pra ter o meu espaço. Se ele me der uma sequência de jogos eu confio muito que apesar dos meus 38, quase 39 anos, vou dar conta do recado”, disse.

Xandão, zagueiro

Um reserva que joga com muita frequência. Xandão é sempre a primeira opção de Carpegiani quando Rhodolfo, Alex Silva ou Miranda não podem jogar por lesão ou suspensão. Ele sabe que não começará jogando enquanto esse trio estiver disponível, mas já trabalha pensando no segundo semestre, quando Miranda irá para o Atlético de Madri e Alex também poderá deixar o São Paulo.

“Qualquer oportunidade que você tem de vestir a camisa do São Paulo tem que mostrar bom futebol. Quando tem a oportunidade de começar jogando você sabe que seu nome está em jogo. A preocupação de quem entrar tem de ser em manter o nível. É uma oportunidade única para alguns jogadores”, afirmou.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG