Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"República de Minas" dá as cartas no Coritiba

Apesar de grupo ter sofrido baixas, clube segue com mineiros em cargos estratégicos, incluindo o patrocinador master

Altair Santos, iG Curitiba |

O futebol do Coritiba está sob o controle da “república de Minas”. Desde o ano passado, posições estratégicas passaram a ser ocupadas por mineiros. A começar pelo superintendente Felipe Ximenes, passando pelo técnico Ney Franco e seu sucessor Marcelo Oliveira, além dos jogadores Demerson, Leonardo e Bill.

O grupo sofreu duas baixas de 2010 para 2011, mas continua forte. Saíram os meio-campistas Ramon e Enrico, ambos naturais de Belo Horizonte, mas o Coritiba não abre mão de seu principal mineiro: o banco BMG.

Segundo o integrante do conselho administrativo do clube, Ernesto Pedroso Júnior, já foram abertas negociações para estabelecer um novo contrato com o patrocinador master. “Estamos conversando para um aumento da cota, já que a exposição do Coritiba na série A do Brasileiro será maior”, diz.

O superintendente Felipe Ximenes avalia que foi uma coincidência ter um grupo representativo de Minas Gerais trabalhando no Coritiba. “É uma feliz coincidência, mas não chega a ser uma república de Minas. O importante é que de 32 jogadores, o Coritiba tem 9 nascidos em Curitiba. Comparando, Cruzeiro e Atlético não tem tantos jogadores assim nascidos em Belo Horizonte”, avalia.

Os mineiros do Coritiba:

• Felipe Ximenes, superintendente de futebol, nascido em Belo Horizonte
• Marcelo Oliveira, técnico, nascido em Pedro Leopoldo
• Bill, atacante, nascido em São Lourenço
• Leonardo, atacante, nascido em Nova Lima
• Demerson, zagueiro, nascido em de Belo Horizonte

Leia tudo sobre: CoritibaFutebol

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG