Treinador foi às lágrimas ao lembrar de Maria, morta em fevereiro do ano passado

Renato Gaúcho não segurou as lágrimas na entrevista coletiva
Fabio Berriel, Gazeta Press
Renato Gaúcho não segurou as lágrimas na entrevista coletiva
Foi difícil falar. A cada frase, uma pausa para enxugar as lágrimas. Renato Gaúcho gaguejou, ficou rouco e até pediu desculpas pela sua voz quase não ser captada pelos microfones.

Não era só de emoção pela vitória do Grêmio sobre o Internacional por 3 a 2 , no primeiro jogo da final do Gauchão, neste domingo. Também por poder homenagear a mãe Maria, morta em 21 de fevereiro de 2010 aos 73 anos. Uma lembrança especial, afinal, hoje é Dia das Mães:

"Estou muito feliz. Primeiro lugar quero dar os parabéns a todas as mamães. Desculpa gente, estou emocionado. Dedico a vitória a minha mãe. Sei que hoje ela orou por mim. É o que mais quero: ser campeão pelo Grêmio para atender a um pedido dela. Tenho muita saudade da minha mãe".

A imagem contrastou com a fama de baladeiro e mulherengo. Poucas vezes se viu um Renato tão humilde, tão emocional, tão sincero, enfim, tão humano. Ele também fez questão de agradecer aos jogadores por estar perto de realizar o sonho de ser campeão pelo Grêmio, agora, como treinador.

“Preparei o meu grupo para ser campeão. Disse para eles saírem de campo hoje de cabeça erguida. Em 180 minutos, poderiam entrar para a história. Botar faixa no peito e foto na parede não tem preço. É um orgulho para a família”, disse Renato.

O treinador reiterou que o Grêmio apenas está em vantagem. Precisará confirmar no Olímpico, no próximo domingo, para ser campeão gaúcho. Pode empatar e até perder por 1 a 0 ou 2 a 1 que levantará a taça. O Inter precisa ganhar por dois gols de diferença ou por um a partir de 4 a 3.

null

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.