Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Renato Gaúcho perde sono e fica ansioso com final do Gauchão

Técnico faz mistério na escalação e pede concentração de todos os jogadores para o Gre-Nal

Hector Werlang, iG Porto Alegre |

Renato Gaúcho é um homem confiante. Não importa o adversário ou local do jogo, sempre aposta em sucesso do Grêmio. Porém, a final do Gauchão contra o Internacional, domingo, no Olímpico, mexe com o treinador. Ao ponto até de tirar o sono:

"Se eu pudesse jogar estaria tranquilíssimo. Saberia que entraria em campo para ajudar os companheiros, mas como treinador o sofrimento e ansiedade são grandes. Um dia normal passa normalmente, mas a semana está demorando mais. Acordo durante a noite, demoro a dormir. Não vejo a hora de a partida começar".

Isto porque, após fazer dois gols e ajudar o Grêmio a ser campeão do mundo em 1983, Renato pode conquistar o primeiro título como treinador do clube do coração. Então, tudo é válido. Até fazer mistério. Além de não indicar time em nenhum trabalho da semana, não quis revelar a escalação e determinou que todos os jogadores irão concentrar – inclusive os suspensos Fernando e Escudero e os machucados Gabriel e Bruno Collaço.

"Tudo pode acontecer. O momento é de o grupo estar unido. Quero todos juntos. Os preparei para serem campeões e agora falta um jogo", contou o comandante.

A concentração de todos também tem outro motivo. A premiação é dividida entre relacionados, reserva e titulares. É uma maneira de, como diz Renato, "reconhecer o trabalho de todos". Este é um dos motivos da boa relação entre o treinador e os atletas, que o definem como pai.

"O diálogo é fundamental para nos acertarmos. E aí vem essa entrega dentro de campo. No momento que o treinador não tem o grupo nas mãos, alguma coisa está errada. É que nem no casamento: quando o homem briga demais com a mulher, tem que separar", concluiu Renato.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG