Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Renato, do Flamengo, tem meta de 12 gols até metade do Brasileiro

Meia já fez quatro este ano e tenta superar sua melhor temporada no clube, quando chegou aos 19 em 2006

Thales Soares, iG Rio de Janeiro |

Antes de defender o Flamengo em 2005, Renato havia passado por Joinville-SC, União Barbarense, Guarani e Corinthians. Nunca teve a pretensão de ser artilheiro. Mas foi naquele ano que sua vida mudou. Com status de principal jogador do time, chegou aos 14 gols e terminou a temporada como principal goleador. O feito se repetiu em 2006 (19) e só não aconteceu em 2007, quando marcou 13 gols, porque deixou o clube em julho, e ficou atrás de Souza, que fez 15.

Agora, fazer gols virou parte de sua rotina. Tanto que, para este ano, estipulou uma meta de 12 gols até a metade do Campeonato Brasileiro, além de tentar superar a marca alcançada em 2006, seu recorde no clube. Já marcou quatro, um deles o primeiro na vitória por 2 a 0 sobre o Duque de Caxias, domingo passado, no Engenhão. Ele é um dos artilheiros do Flamengo. Na sua frente, estão Ronaldinho Gaúcho, Wanderley e Deivid, com apenas um a mais.

“Antigamente, eu me preocupava mais em dar o passe. Agora, se fico cinco ou seis jogos sem fazer gol, eu começo a me perguntar se estou fazendo algo errado. Fiquei acostumado com essa situação, os torcedores também cobram”, comentou Renato, que já marcou 54 gols com a camisa do Flamengo em 169 jogos disputados.

Vipcomm
Renato comemora após mais um gol pelo Flamengo pelo Campeonato Carioca
No dia 9 de junho deste ano, Renato vai completar 33 anos, mas ainda é um jogador com preparo físico invejável. Este ano, ficou fora apenas de dois jogos e nunca por lesão. Com tal vitalidade, ainda coloca metas em sua vida, mas se recusa a revelá-las. A última delas foi o título invicto da Taça Guanabara.

“Vou colocando as metas de acordo com as possibilidades que existem. Tenho muitas ainda para a minha carreira, tanto em números individuais como em títulos”, comentou Renato, que não contabiliza os gols marcados em sua carreira. “Nunca fui atacante de ofício, talvez por isso não tenha feito essa conta”, emendou.

Apesar de não ter origem no ataque, Renato já atuou na posição. No começo de sua carreira, quando vestia a camisa do Guarani, chegou a fazer dois gols em cima do Flamengo em um empate em 3 a 3 no Maracanã, em confronto válido pela Copa do Brasil. Mas não conseguiu classificar seu time na época.

“Também fui artilheiro lá fora em 2007 e vice-artilheiros nos dois outros anos. Desde a minha primeira passagem pelo Flamengo comecei a fazer mais gols do que estava acostumado”, contou Renato, que defendeu Al-Nasr e Al-Shabab, ambos dos Emirados Árabes, entre 2007 e 2010, antes de voltar ao Flamengo.

Com o passar do tempo, encontrou outras formas de marcar seus gols e conquistar os torcedores. Os chutes de longa distância e as cobranças de falta são suas principais armas. Da arquibancada, ouve seu nome seguidamente, apesar da presença de Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves no time.

“Isso deixa a gente muito feliz. É um reconhecimento por tudo que fiz aqui no Flamengo”, comentou Renato, que conquistou o título da Copa do Brasil de 2006 e o Campeonato Carioca de 2007.
 

Leia tudo sobre: FlamengoCampeonato Carioca 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG