Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Renato desmente trote, admite erro e promete ficar no Grêmio

Treinador só não quis revelar se recebeu proposta para substituir Muricy Ramalho no Fluminense

Hector Werlang, iG Porto Alegre |

Hector Werlang
Renato pensativo em treino do Grêmio
Em meio àas críticas do presidente Paulo Odone às atuações irregulares do Grêmio, feitas quinta-feira, após o empate com o León, pela Libertadores, o técnico Renato Gaúcho adotou o silêncio. Não falou na sexta-feira, um dos dias reservados para conversar com a imprensa. A manifestação veio neste domingo, após a vitória por 3 a 0 sobre o Porto Alegre. O assunto, porém, foi a polêmica entrevista concedida ao jornalista Jorge Kajuru. E foi surpreendente.

Na entrevista, Renato disse a Kajuru que estava perto de acertar com o Fluminense. Depois, questionado sobre o caso, alegou que a ligação parecia um trote e que ele teria entrado na "brincadeira". Agora, Renato desmentiu o trote e reconheceu ter falado com Kajuru sobre o Fluminense

“Só não tinha dito antes porque eu estava fora. Tem gente que sai detrás da porta para se valorizar. Eu não preciso, já estou valorizado. Eu no início não sabia se era ele. Atendi meio atordoado, não tinha certeza, mas reconheço o erro”, disse Renato neste domingo.

Pela primeira vez, o treinador prometeu ficar no Grêmio, mesmo tendo assédio de qualquer outro clube. “Estou muito bem e feliz. O grupo é maravilhoso, a direção me apoia e a torcida me ama. Eu também a amo. Fiquem tranquilos: vou ficar no Grêmio. O dia que surgir proposta vou comunicar à direção”, destacou.

Renato só não quis revelar se realmente recebeu proposta do Fluminense para substituir Muricy Ramalho. Sobre as considerações do presidente, o treinador disse que “tem gente fazendo tempestade em copa d’água”.

"Quais foram as críticas, que eu não fiquei sabendo de nada disso? O presidente é o Paulo Odone, eu também não fiquei satisfeito. É o presidente que paga o grupo, ele tem o direito de colocar a opinião dele, até porque é a minha", declarou

Depois, o treinador afirmou que não tem problemas de relacionamento com a nova diretoria: "Futebol é resultado. O problema é que lá no Grêmio o ambiente é excepcional entre técnico, diretoria, e jogadores. E de repente isso está incomodando alguém. Nada, nada, nada vai entrar no nosso ambiente. Não tenho mais nada a falar, no momento que eu falo uma palavra, já vira um livro."

Leia tudo sobre: grêmiorenato gaúcho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG