Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Relator da Lei da Copa propõe liberação de álcool nos estádios

Vicente Cândido amplia liberação para além da Copa do Mundo e define parâmetros dos ingressos populares para 2014

iG São Paulo |

O deputado Vicente Cândido (PT-SP), relator da Lei Geral da Copa do Mundo, reforçou sua posição favorável à venda de bebidas alcoólicas nos estádios da Copa do Mundo e nos jogos do futebol brasileiro. Nesta terça-feira, ele apresentou o relatório final do projeto, no qual amplia a liberação do álcool e define os parâmetros do ingresso popular no Mundial.

Leia mais: Valcke defende bebidas alcoólicas nos estádios de 2014

Para liberar a bebida nos estádios brasileiros, inclusive fora da Copa do Mundo, Cândido propõe a alteração no Estatuto do Torcedor (Lei 10.671/03), que atualmente proíbe álcool em eventos esportivos. Alegando “medida de segurança necessária”, porém, o deputado restringe a venda aos restaurantes e bares oficiais das arenas esportivas.

O torcedor poderia beber nas dependências do estádio, mas somente dentro dos estabelecimentos autorizados. Portanto, não poderia circular pelo estádio com a bebida nas mãos.

Divulgação
Vicente Cândido: relator da Lei Geral da Copa
Confira ainda: Fifa adia divulgação dos documentos da ISL

Após negociar com a Fifa, Cândido também definiu os parâmetros da venda de ingressos populares para a Copa 2014, com valor não superior a R$ 50. A Fifa dividiu os bilhetes em três categorias de preços, e os populares compõem uma categoria extra (classe 4). No total, serão 300 mil ingressos, 10% da carga total, pela metade do preço da categoria superior (classe 3).

Terão direito aos ingressos mais baratos os idosos (60 anos ou mais), os estudantes, pessoas com deficiência, indígenas e participantes de programas federais de transferência de renda, como o Bolsa-Família.

Cândido propôs outras mudanças no projeto da Lei da Copa em relação ao texto original. Ele prevê, por exemplo, o pagamento de um prêmio de R$ 100 mil aos campeões mundiais de 1958, 1962 e 1970, bem como um auxílio especial mensal de até R$ 3,6 mil mensais para esses ex-atletas.

Leia tudo sobre: copa 2014

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG