Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Relação entre Alecsandro e torcida muda da água para o vinho

Antes contestado, atacante do Vasco agora é apoiado pela arquibancada e retribui com beijos na comemoração

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

A comemoração de Alecsandro no segundo gol do Vasco contra o Libertad , pela Taça Libertadores , deixa claro que a relação do atacante com a torcida, hoje, é de lua de mel. Antes, mesmo com atuações decisivas como nas finais da Copa do Brasil e viradas como contra o Fluminense no Campeonato Brasileiro, qualquer bola na trave era motivo de vaia. No gol marcado diante do time paraguaio, na noite desta quarta-feira, em São Januário, ele mandou beijos para o torcedor.


Veja também: Corinthians cumpre missão, vence Cruz Azul e lidera na Libertadores

Alecsandro reconhecia que ainda não havia caído nos braços da torcida. Mas nem por isso deixou de se dedicar. Este ano, o jogador já balançou a rede 11 vezes – número que surpreende comparado aos 13 da temporada passada inteira. O reconhecimento veio na vitória por 3 a 1 sobre o Alianza, do Peru.

Deixe o seu recado e comente essa notícia com outros torcedores

Na oportunidade, o atacante perdeu dois pênaltis. E assim mesmo, foi aplaudido na saída de campo. Emocionado, caminhou na direção dos torcedores, agradeceu e atirou a camisa para a arquibancada. E deixara uma promessa:

Leia também: Torcedores do Vasco protestam contra o racismo. Confira fotos

“Disse que faria gol e correria na direção da torcida mandando beijinhos. Prometi e cumpri a promessa. É bom ter o carinho e a confiança do torcedor”, disse Alesandro.

Em 2011, o atacante foi titular durante a maior parte da temporada. No entanto, uma lesão muscular o afastou da equipe por sete partidas. Elton entrou em seu lugar e durou um bom tempo. Somente nos jogos finais da temporada que Alecsandro recuperou a posição. Mas sem cair no gosto d torcedor.

Já este ano, após conselhos do técnico Cristóvão Borges, mudou seu posicionamento. Agora joga dentro da área, sem ansiedade para sair e buscar jogo. Conclusão: 11 gols em 14 partidas, média de quase um gol por jogo.
 

Leia tudo sobre: vascoalecsandrocopa libertadores 2012

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG