Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Reformulado, São Paulo vislumbra início de nova era vitoriosa

Do time megacampeão entre 2005 e 2008, apenas Ceni, Miranda, Alex Silva e Dagoberto seguem no elenco

Levi Guimarães, iG São Paulo |

Entre 2005 e 2008, o São Paulo foi sem dúvida o time mais vencedor do futebol brasileiro, conquistando um Paulistão, três Brasileiros, uma Libertadores e um Mundial. Nos últimos dois anos, a equipe decaiu e já vive dois anos de jejum. Mas, às vésperas das eleições, o clube vive a expectativa real de iniciar o que pode se tornar uma nova era de conquistas.

Depois de algumas temporadas com o elenco sofrendo poucas mudanças, hoje é possível afirmar que esta base do time na última fase vencedora não existe mais. Dos 32 jogadores que hoje fazem parte do elenco profissional, apenas quatro (Rogério Ceni, Miranda, Alex Silva e Dagoberto) participaram dos títulos citados - Jean também foi campeão brasileiro em 2008, mas participando de apenas duas partidas e como reserva.

O novo cenário não significa que tenha havido uma revolução no clube. De 2010 para 2011, as mudanças no elenco foram até bem menores que na temporada anterior. Mas o fato é que a chegada de alguns reforços pontuais e até um pouco de sorte permitem ao torcedor do time ter esperança real de voltar a ver o São Paulo lutando por títulos.

Divulgação
Luis Fabiano: reforço de peso para completar o elenco são-paulino em busca de uma nova era vencedora

Na defesa, o técnico Paulo César Carpegiani já sabe que vai perder Miranda para o Atlético de Madri em julho. Mas, para compensar, o treinador já conta com Rhodolfo, que chegou do Atlético-PR e assumiu a titularidade como um veterano. Alex Silva, outro nome fundamental, está emprestado pelo Hamburgo até julho, mas o presidente são-paulino Juvenal Juvêncio já negocia com o clube alemão a aquisição em definitivo do jogador.

Se preparando para a possível perda de titulares, Carpegiani tem tentado dar uma sequência de jogos ao reserva Xandão e conta ainda com os garotos Luiz Eduardo, recém-promovido das categorias de base, e Bruno Uvini, que se recupera de lesão depois de ter sido capitão da seleção sub 20 no Sul-Americano disputado no Peru, no início do ano.

Para completar, o zagueiro Breno, atualmente no Bayern de Munique, tem manifestado com frequência seu desejo de voltar ao São Paulo o mais rápido possível. E o goleiro Rogério Ceni, próximo das marcas de cem gols e mil jogos com a camisa do clube, segue dando segurança total debaixo das traves.

Os pontos ainda fracos do “novo” São Paulo são as laterais. Pela direita, as opções são o volante Jean jogando improvisado ou um zagueiro atuando como falso lateral. Pela esquerda, Juan vem tendo atuações regulares, mas não no mesmo nível que o levou a ser eleito o melhor jogador da posição no Campeonato Brasileiro de 2008.

AE
Revelado nas categorias de base em Cotia, Lucas tem menos de um ano como profissional, mas já é um dos principais nomes do time

O meio de campo talvez seja o setor que melhor demonstra a força do elenco. Com as ótimas fases que atravessam jogadores como o próprio Jean, além de Casemiro e Carlinhos Paraíba, nomes como Rodrigo Souto e Cleber Santana hoje são reservas de luxo. Até o veterano Rivaldo, atualmente lesionado, não tem lugar garantido na equipe e pode ser “apenas” uma ótima opção no banco quando voltar.

E há, claro, um caso à parte: o camisa 7 Lucas. Quando o São Paulo mais precisava, o CFA (Centro de Formação de Atletas) de Cotia, menina dos olhos de Juvenal Juvêncio, deu ao time profissional um atleta que tem tudo para se firmar entre os melhores do país. Destaque neste início de temporada, o meia de 18 anos já foi até convocado para a seleção principal por Mano Menezes.

No ataque, depois de um 2010 complicado, Carpegiani já vinha obtendo bons resultados com a boa fase de Dagoberto e Fernandinho, além de contar com Willian José e Henrique, que também participaram da campanha do título Sul-Americano com a seleção sub 20. Como acontece com Santana e Souto no meio de campo, o veterano Fernandão perdeu espaço.

AE
Para Jean, ter bom elenco é importante, mas o trabalho nos treinos continua sendo o principal
A cereja do bolo para o setor foi anunciada na última sexta-feira. Em um negócio de mais de R$ 17 milhões, o São Paulo repatriou o atacante Luis Fabiano, talvez o camisa 9 mais cobiçado do futebol brasileiro, titular absoluto da seleção brasileira na última Copa do Mundo. Com esse elenco reunido, o camisa 2 Jean, quarto jogador com mais partidas pelo São Paulo (só perder para Rogério Ceni, Miranda e Dagoberto), dá a receita para a volta dos títulos.

“Não tenha dúvida que sabendo trabalhar, com as peças que temos nós vamos conquistar muitos títulos para o São Paulo. Vão ser muito importantes essas novas contratações, o Alex Silva que já está jogando, o Luis Fabiano que vai entrar. Tudo é uma questão de trabalho. Não adianta ter as peças e não saber a melhor maneira de entrar em campo. Nas conquistas anteriores não teve nada de diferente, nada de sorte. Foi o trabalho que fez a gente conquistar títulos”, afirmou.

Em campanha - ainda não oficial - pelo terceiro mandato consecutivo, Juvenal Juvêncio agradece a nova perspectiva otimista, que se reflete momentaneamente na liderança do Campeonato Paulista.

Leia tudo sobre: são paulolucasrogério ceniluis fabianoalex silva

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG