Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Real Madrid vence Barcelona e conquista a Copa do Rei após 17 anos

Cristiano Ronaldo decidiu de cabeça, na prorrogação, o segundo da série de 4 jogos entre os arquirrivais

Gazeta |

Após 17 anos de jejum, o Real Madrid finalmente levantou a Taça do Rei. Nesta quarta-feira, no estádio Mestalla, em Valência, o time do técnico José Mourinho bateu o Barcelona por 1 a 0, gol do português Cristiano Ronaldo, e saiu vencedor da decisão da principal copa da Espanha pela 18ª vez na história.

[]

Este foi o primeiro título de Mourinho à frente da equipe merengue. Além disso, ele mantém a marca de ter conquistado copas nacionais em todos os países em que trabalhou: havia vencido no Porto (POR), no Chelsea (ING), e na Inter de Milão (ITA). O técnico português mantém a marca de conquistar pelo menos um título em todas as temporadas desde 2003.

Na primeira decisão entre os times desde 1990, o primeiro tempo teve muitas chances a favor do Madrid, mas o Barça foi superior na etapa final e na prorrogação e só não triunfou, pois o goleiro Iker Casillas operou diversas defesas difíceis. O tempo regulamentar terminou sem gols, mas, na prorrogação, Di Maria e Marcelo trocaram passes na esquerda e Cristiano Ronaldo fez, de cabeça, o gol do título. Kaká ficou no banco e apenas apareceu na festa dos campeões no gramado.

Com o resultado, o Real Madrid está invicto na série de quatro superclássicos entre as equipes em 18 dias: empatou, no Santiago Bernabéu, no último sábado, por 1 a 1, além de ter quebrado uma série de seis jogos sem bater os rivais. Nas próximas duas semanas, haverá mais dois duelos, ambos pelas semifinais da Liga dos Campeões da Europa.

O jogo
O Real Madrid começou a partida a todo vapor, indo para cima dos rivais. Aos 11 minutos, uma jogada impressionante a favor dos merengues. Ozil avançou pela esquerda e deu um belo passe, de cavadinha, para Cristiano Ronaldo, que bateu com força, cruzado, venceu o goleiro Pinto, mas viu Pique salvar em cima da linha.

Dez minutos depois, com o Barça já melhor no jogo, mas ainda sem criar chances, outra boa jogada do Real Madrid. Escanteio cobrado na área do Barça e Cristiano Ronaldo tentou cabecear, mas pegou de raspão na bola, que sobrou para Ozil, que, livre de fora da área, bateu forte de pé direito, pela linha de fundo.

Entre os 30 e 35 minutos, duas grandes chances para Cristiano Ronaldo. Na primeira delas, ele recebeu lançamento longo, mas não pegou em cheio na bola e Pinto ficou com ela. O arqueiro ainda fez uma defesa impressionante no lance seguinte, em uma batida cruzada forte do português. Na sobra da jogada, Pepe - que já tinha amarelo - fez falta duríssima em Busquets, mas não foi expulso.

No último lance do primeiro tempo, novamente Pepe chamou a atenção novamente. Depois de linda tabela entre Cristiano Ronaldo e Ozil, que terminou com um passe de peito do português e um cruzamento do alemão, o zagueiro improvisado como volante subiu muito bem e cabeceou bonito, mas acertou a trave.

No início do segundo tempo, o Barcelona voltou ligado, com mais posse de bola e chegando mais ao ataque. Aos seis minutos, Pedro chegou com velocidade pela esquerda, cortou para o meio e bateu com muita violência, mas a bola passou perto.

Jogando da maneira como gosta, o Barça continuou melhor na partida, chegando com bastante força e criando oportunidades. Pelo Real, a única chegada com perigo nos primeiros 20 minutos foi com Xabi Alonso, em chute de longe. Messi respondeu na mesma moeda e assustou.

AFP
O jogo foi para a prorrogação e Cristiano Ronaldo marcou aos 12 minutos

Aos 24 minutos, o Barça chegou a fazer um gol, mas não valeu. Em grande jogada de Messi, que se livrou dos marcadores e enfiou bonito para a área, Pedro tocou na saída de Casillas e marcou o primeiro, mas o árbitro deu impedimento.

Jogando melhor, a equipe catalã continuou melhor e criando mais oportunidades. Por três vezes, Casillas salvou seu time. Primeiro em uma batida de fora da área de Messi, depois em uma tentativa de cavadinha de Pedro, dentro da área. Já aos 35, Iniesta invadiu a área e bateu cruzado de esquerda, mas o goleiro se esticou todo e salvou com a ponta dos dedos.

No final, com o jogo mais equilibrado, a partida ficou totalmente aberta, com os dois times avançando muito e tentando o gol de qualquer maneira. Pinto fez grande defesa já aos 45 minutos, em uma bomba de fora da área de Di María.

No primeiro tempo da prorrogação, o Barcelova voltou como no segundo tempo, valorizando a posse de bola e jogando mais que os rivais. Sempre tentando entrar, esbarrava na forte marcação dos merengues, que tiveram uma grande oportunidade de marcar. Aos oito minutos, Cristiano Ronaldo recebeu em contra-ataque, em alta velocidade. Ele ganhou de todos os defensores, invadiu a área e bateu bem, mas a bola raspou a trave e saiu pela linha de fundo.

O português, no entanto, não costuma perder muitos gols e, na outra oportunidade que teve, marcou. Aos doze minutos da primeira etapa da prorrogação, ele aproveitou uma grande jogada de Marcelo e Di María, que cruzou com perfeição para Ronaldo marcar o primeiro. No segundo tempo, o Barça foi para cima, mas não conseguiu igualar o marcador, enquanto o Real Madrid apostava nos contragolpes e segurava a posse de bola. Os dois times tiveram chances de gol, mas não conseguiram converter e o Real se sagrou campeão.

Reuters
Cabeceio de Cristiano Ronaldo passa por cima de Pinto antes de encontrar a rede do Barça

FICHA TÉCNICA - BARCELONA 0 x 1 REAL MADRID

Local: Estádio Mestalla, em Valencia (Espanha)
Data: 20 de abril de 2011, quarta-feira
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Alberto Undiano
Cartões amarelos: Pepe, Adebayor, Di María e Xabi Alonso (RMD); Messi, Adriano e Pedro (BAR)
Cartão vermelho: Dí Maria (RMD)

GOL: REAL MADRID: Cristiano Ronaldo, aos 10 minutos do 1º tempo da prorrogação

BARCELONA: Pinto; Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Adriano (Maxwell); Busquets, Xavi e Iniesta; Messi, Pedro e David Villa. Técnico: Pep Guardiola

REAL MADRID: Casillas; Arbeloa, Sergio Ramos, Ricardo Carvalho (Garay) e Marcelo; Pepe, Khedira, Xabi Alonso e Özil (Adebayor); Cristiano Ronaldo e Dí Maria. Técnico: José Mourinho

Leia tudo sobre: real madridbarcelonaespanhafutebol mundialcristiano

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG