Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Rafael Moura quer definir futuro no Goiás só após final

Atacante está emprestado ao clube goianoa até dezembro, mas ainda pertence à MSI, empresa que o contratou para defender o Corinthians em 2006

Agência Estado |

O atacante Rafael Moura afirmou nesta terça-feira que pretende definir o rumo que irá tomar em 2011 apenas após a decisão da Copa Sul-Americana, que começa nesta quarta-feira, no Serra Dourada, em Goiânia, com o duelo entre Goiás e Independiente, da Argentina. Embora não confirme oficialmente os interessados em seu futebol, o jogador estuda propostas de outros clubes, mas não descarta a possibilidade de permanecer no Goiás no caso de conquista do título do torneio que daria ao time uma vaga na Copa Libertadores de 2011.

"O meu contrato acaba aqui em 31 de dezembro e tenho um contrato lá fora que vai até 2013. Tem muita especulação, mas eu queria muito esperar o dia 8 (data do segundo jogo da decisão da Sul-Americana) para poder tomar uma decisão, de sair para outro clube ou até mesmo discutir a minha permanência", afirmou Rafael Moura, em entrevista ao canal ESPN Brasil.

Rafael Moura está emprestado ao Goiás até dezembro, mas ainda pertence à MSI, empresa que o contratou, por meio dos seus investidores, para defender o Corinthians em 2006, ano em que a equipe paulista disputou a Libertadores. Oficialmente, ele tem contrato com um time suíço chamado Locarno, mantido pelo empresário israelense Pini Zahavi, que segundo investigação do Ministério Público tinha ligação com a MSI.

Ao ser questionado sobre os interessados em seu futebol, o jogador despistou, mas não negou que existe interesse de dois grandes clubes do futebol brasileiro em seu futebol. "Palmeiras e Cruzeiro foram os mais especulados, mas é só por parte da imprensa que estou acompanhando isso", reforçou.

Rafael Moura ressaltou que hoje tem a maturidade necessária para voltar a defender um grande clube, coisa que ele admite que não tinha na época em que defendeu o Corinthians. "Primeiro, para um jogador jovem, de 21 anos, que teve destaque no Paysandu, logo ir para o Corinthians para disputar uma Libertadores, com a torcida que o Corinthians tem, não é fácil. É difícil para a cabeça de um jogador, até pela questão financeira. Faltava a maturidade que tenho hoje", disse, para depois lembrar que não foi feliz em sua passagem pelo Fluminense, pelo qual, porém, colocou no seu currículo o título de campeão da Copa do Brasil de 2007.

Já ao falar sobre a final que começa nesta quarta-feira, Rafael Moura afirmou que espera uma partida de muita luta, tendo em vista as características atuais dos elencos de Goiás e Independiente, que ficam devendo qualidade na parte técnica.

"Tem todo o fator torcida, que a gente conhece bem, mas eu acho que o jogo vai ser muito aguerrido, pois hoje o Goiás joga muito mais na raça do que na técnica. O Independiente também vive a mesma situação, haja vista a situação deles no Campeonato Argentino (o time ocupa a 18.º e antepenúltima posição)."

Leia tudo sobre: copa sul-americanafutebolgoiás

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG