Com dois gols e uma assistência, atacante brilha ao lado do estreante Lanzini. Edinho abriu a vitória por 3 a 0 com um golaço

nullNuma repetição do jogo contra o Internacional, o Fluminense jogou dois tempos completamente distintos nesta quarta-feira, no Engenhão. Sem inspiração e sonolento, no primeiro. Voluntarioso e avassalador, no segundo. Sem Fred, poupado com dores musculares, o atual campeão brasileiro contou com Rafael Moura inspirado para vencer o Figueirense por 3 a 0, espantar a crise e ganhar moral para enfrentar o Vasco, no clássico de domingo, às 18h, no Engenhão.

Entre para a Torcida Virtual de Figueirense ou Fluminense e convide seus amigos

Com a vitória, o Fluminense chegou aos 24 pontos, subiu duas posições e pulou para o sétimo lugar. Já o Figueirense segue com 23 pontos e caiu de sétimo para nono. Enquanto time carioca enfrenta o Vasco, o Figueirense terá outra pedreira no sábado: o Corinthians, às 18h, em São Paulo.

O JOGO
Sob pressão, mas com pouquíssimos torcedores para pressionar, o Fluminense começou o jogo com duas novidades: o colombiano Valencia no lugar de Fernando Bob e o argentino Lanzini na vaga de Souza.

As mudanças até tornaram o time mais aguerrido, mas em termos de qualidade pouca coisa mudou. Lento e sem inspiração, o meio campo tricolor carregava demais a bola e praticamente não ameaçava o gol de Wilson.



Os raros lampejos do time de Abel saiam dos pés de Lanzini. Apesar de jovem, o novo dono da camisa 11 era o único que tentava uma jogada mais aguda. E numas dessas investidas, a bola sobrou para Carlinhos pela esquerda, o lateral cortou para o meio da área e chutou rasteiro por baixo de Wilson.

Mas a comemoração da torcida do Fluminense durou segundos. Rafael Moura, completamente impedido, participou indiretamente da jogada e atrapalhou o goleiro do Figueirense. Foi o suficiente para o árbitro Francisco Carlos Nascimento anular, acertadamente, o gol do lateral-esquerda.

Mas o Fluminense não desanimou e continuou pressionando. E foi novamente dos pés do argentino de apenas 18 anos que time carioca quase abriu o marcador em duas oportunidades. Aos 20, numa jogada individual do meia, que chutou por cima, e, aos 26, num chute da entrada da área que passou rente à trave direita de Wilson.

O gol parecia questão de tempo, e quase saiu aos 30. Rafael Sobis cobrou escanteio da esquerda na medida para o xará Rafael Moura, que cabeceou forte e obrigou o goleiro da equipe catarinense fazer grande defesa e evitar o gol tricolor.

Siga o Twitter do iG Fluminense e receba notícias do time em tempo real

Mesmo acuado, o Figueirense deu o troco em seguida. Num contra-ataque rápido, Elias avançou pela esquerda e chutou cruzado. A bola desviou na zaga tricolor e sobrou limpa para Somália, que chutou para boa defesa de Cavalieri. O goleiro tricolor ainda salvaria o campeão brasileiro aos 41 num chute do meia da rua de Elias.

Photocamera
Rafael Moura (d) anotou dois gols para o Fluminense no segundo tempo
O Fluminense ainda teria uma última chance de marcar, aos 44, novamente com Lanzini, o melhor do primeiro tempo. O argentino recebeu pelo lado direito, girou em cima do zagueiro e acertou uma bomba no ângulo direito de Wilson, que se esticou todo para defender e colocar para escanteio.

A bronca de Abel Braga surtiu efeito no intervalo. Depois de um primeiro tempo de dar sono, o Fluminense voltou ligado e precisou de apenas quatro minutos para marcar duas vezes e resolver o jogo: aos três, num golaço de Edinho de fora da área, após linda jogada de Rafael Moura. E, aos quatro, com o próprio Rafael Moura, que roubou de João Paulo, deixou um zagueiro no chão e chutou sem defesa para Wilson.

Se o ataque passou a funcionar lá na frente, atrás Diego Cavalieri jogava pela defesa inteira e impediu em três oportunidades que o Figueirense marcasse: aos seis, depois de um bate-rebate na área que resvalou em Gum e quase enganou o goleiro; aos sete, numa bomba de fora da área de Maicon que o camisa 12 se esticou todo para espalmar e colocar para escanteio e, aos nove, em outro chute do meio da rua, desta vez de João Paulo, que tinha endereço certo.

Como quem não faz leva, quem marcou foi o Fluminense. Novamente com Rafael Moura. Mariano aproveitou a falha da defesa do Figueirense, passou como quis por Juninho e cruzou na cabeça do atacante, que só teve o trabalho de deslocar Wilson e correr para abraçar o lateral-direito.

FICHA TÉCNICA – FLUMINENSE 3 x 0 FIGUEIRENSE
Local: Engenhão (RJ)
Data: 17 de agosto de 2011, quarta-feira
Horário : 19h30h (de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL/FIFA)
Assistentes: Erich Bandeira (PE) e Pedro J. de Araújo (PE)
Renda: R$ 81.690,00
Público pagante : 3.832 (Presente: 5.765)
Cartão amarelo: Elias (FIG), Fernando Bob (FLU)

Gols:
FLUMINENSE: Edinho, aos 3 do segundo tempo, e Rafael Moura, aos 4 e 23 do segundo tempo

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Mariano, Gum, Márcio Rosário e Carlinhos; Edinho, Valencia, Marquinho e Lanzini; Rafael Sobis (Fernando Bob) e Rafael Moura.
Técnico: Abel Braga

FIGUEIRENSE : Wilson, Bruno, João Paulo (Roger Carvalho), Edson Silva e Juninho; Ygor, Túlio (Leandro Chaves), Maicon e Elias; Somália (Heber) e Júlio César.
Técnico: Jorginho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.