Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Rafael diz não se incomodar com busca do Santos por outro goleiro

Novo técnico Adilson Batista, que irá dirigir time em 2011, indicou a diretoria a contratação do uruguaio Carini

Gazeta Esportiva |

O goleiro Rafael foi uma das principais revelações do Santos na temporada. De quarto goleiro da equipe, o jovem arqueiro, de 20 anos, não desperdiçou a oportunidade que teve e virou titular. Mas, apesar disso, nos bastidores da Vila Belmiro circula a informação de que o clube pretende contratar um novo goleiro, para disputar a posição com Rafael em 2011, principalmente em virtude principalmente da disputa da Copa Libertadores. No entanto, segundo o próprio goleiro, essa iniciativa da diretoria em buscar um outro jogador para a posição não o incomoda.

"Em relação a mim, não vejo problema algum, pelo contrário. Estou super preparado e vou continuar trabalhando, nos treinamentos e jogos, com a mesma disposição e vontade de sempre. Se vai chegar um novo goleiro, quem decide isso é a diretoria. E, mesmo que chegue um novo arqueiro, a titularidade vai depender do que cada um irá fazer dentro de campo", afirmou Rafael.

O novo técnico do Santos Adilson Batista, que irá dirigir o time na próxima temporada, indicou a diretoria a contratação do experiente goleiro uruguaio Carini (ex-Atlético-MG). Desde que deixou o Galo, no final de julho deste ano, o arqueiro uruguaio, de 30 anos, está sem clube. E, por já ter trabalhado com o futuro preparador de goleiros do Peixe, Oscar Rodriguez, no Atlético-MG, a negociação com Carini pode avançar e ser concretizada.

Alheio a possível chegada de Carini, Rafael confia em seu retrospecto com a camisa 1 santista e minimiza a falta de experiência em torneios internacionais, para vencer uma eventual concorrência com o uruguaio - que é dez anos mais velho do que ele -, e ser titular do Alvinegro Praiano na Libertadores.

"Foi como eu disse: pode trazer um novo goleiro, que cada um vai fazer o seu trabalho. Claro que com a chegada de um novo treinador, as coisas mudam. Todo mundo tem que mostrar serviço. É como se estivesse começando tudo novamente. Mas tenho a minha história no clube, que tem de ser respeitada. Sou jovem, tenho 20 anos, porém, jogo nessa posição desde os meus 6 anos de idade. Então, acredito que esse aspecto da experiência acaba sendo algo muito relativo", concluiu.

Leia tudo sobre: futebolsantos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG