Se eu fosse homossexual, isso não interferiria em campo , diz Richarlyson - Futebol - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Se eu fosse homossexual, isso não interferiria em campo, diz Richarlyson

Na despedida do São Paulo, volante lamenta não ter agradado 100% da torcida, mas aponta títulos como resposta

Levi Guimarães, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237854527685&_c_=MiGComponente_C

A polêmica que marcou boa parte da passagem de cinco anos e meio do volante Richarlyson pelo São Paulo esteve presente também no dia de sua despedida. Nesta sexta, ele comentou o fato de ser criticado por parte da torcida do próprio clube por, supostamente, ser homossexual. O jogador chegou a chorar ao ser homenageado pelo elenco.

Mesmo que eu fosse homossexual, isso não interferiria no meu trabalho dentro de campo, disse o jogador. Durante sua última entrevista coletiva como jogador do São Paulo, ele destacou mais de uma vez o desejo de que os torcedores soubessem separar sua competência como jogador profissional de sua vida pessoal.

Veja a entrevista de Richarlyson e a homenagem do elenco

Para o camisa 20, a resposta aos críticos foram os títulos conquistados no período que permaneceu no clube. Conquistei um Mundial, três brasileiros, prêmios individuais e cheguei à seleção. É o que eu tenho para falar. Se para eles o mais importante é a minha vida pessoal e falar que eu sou isso ou aquilo, vou dizer me desculpe se não consegui ser aquilo que eles queriam que eu fosse'. Até porque isso eu não posso ser. Vou ser o Richarlyson que sempre fui.

Ainda sobre o assunto polêmico, o volante mais uma vez agradeceu o apoio recebido da diretoria são-paulina, disse que as pessoas precisam aprender a aceitar as outras como são e usou frases de efeito. Nem Jesus agradou a todos, por que o Richarlyson, um ser humano pecador, que tem falhas, tem defeitos, iria agradar?, questionou.

Polêmica com arbitragem
Em 2010, Richarlyson foi um dos jogadores mais indisiciplinados do futebol brasileiro, com quatro expulsões, sendo três apenas no Campeonato Brasileiro. Na despedida, ele admitiu ter errado em algumas ocasiões, mas mostrou estar revoltado com o último cartão vermelho recebido, no jogo contra o Fluminense. E mais ainda pelo relato feito pelo quarto árbitro na súmula daquela partida.

Todo mundo está sujeito a expulsões, mas fiquei muito triste com as declarações do Héber [Roberto Lopes, árbitro do jogo] e do seu assistente. Quando fui expulso contra o Avaí eu assumi que tinha xingado e pedi desculpas, não questionei a expulsão. Na do Héber eu não fiz falta e jamais o xingaria de viado como o quarto árbitro falou, disse.

Com julgamento marcado para a tarde desta sexta, Richarlyson reconhece que já mereceu punições, mas diz que uma nova não será aceita. A justiça do tribunal pode me punir, mas a justiça de Deus sabe tudo. Fui punido por outras coisas que até achei justas e absorvi as punições. Mas coisas inventadas não vou aceitar. As únicas palavras que falei no final do jogo foram que ele era fraco, muito fraco.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirofutebolsão paulo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG