Tamanho do texto

Trabalhei com o Mano no Grêmio, por apenas três meses, mas ele é muito coerente e isso me dá uma esperança, diz atacante gremista

Do inferno ao céu. Rotulado por um jornal espanhol como "pior atacante do mundo" após perder um gol incrível em duelo entre Grêmio e Boyacá Chicó, pela Libertadores 2009, Jonas está prestes a comemorar a artilharia do Campeonato Brasileiro e já sonha com uma oportunidade na seleção brasileira.

"Fiquei um pouco triste na época. Mas, por coincidência ou não, minha carreira deu uma alavancada depois, foi legal", vibrou o centroavante, em entrevista ao Sportv . "Foi até engraçado. Qualquer gol que eu perdia, todo mundo já queria falar alguma coisa. Não é fácil você olhar para os jornais e ver aquilo".

A nova fase e a presença de Mano Menezes na seleção brasileira animam o camisa 7. "Todo mundo sonha com uma oportunidade. Trabalhei com o Mano no Grêmio, por apenas três meses, mas ele é muito coerente e isso me dá uma esperança. Hoje tem um amigo meu lá, que é o Douglas. Espero ser lembrado", disse.

Artilheiro isolado do Brasileirão, Jonas mantém a humildade. Com 21 gols, ele ostenta larga vantagem em relação ao corintiano Bruno César e ao santista Neymar, concorrentes mais próximos, que marcaram 13 gols na competição nacional, mas evita comemorações antecipadas. "Vamos com calma, ainda faltam três rodadas (risos)".

A pequena preocupação tem explicação: expulso da partida contra o Santos em função de uma cotovelada, o atacante está automaticamente fora do confronto com o Atlético-PR, no sábado. Ele ainda deve ser julgado pelo STJD, o que pode ampliar a suspensão e até tirá-lo do restante do campeonato.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.