Time empatou com o Vasco fora de casa e caiu para a sétima colocação no Campeonato Brasileiro

O São Paulo não vence no Campeonato Brasileiro há oito rodadas e caiu para a sétima colocação, a dois pontos da zona de classificação para a Libertadores. Mas ninguém no clube ainda abriu mão da disputa pelo título. Mesmo a oito pontos do líder Corinthians, até mesmo o técnico Leão faz contas para acreditar no heptacampeonato nacional.

"Se engatarmos quatro resultados seguidos, voltamos a sonhar com título. Se ganharmos metade [dos seis jogos que faltam], não temos que pensar em título, mas em vaga na Libertadores", falou o treinador.

LEIA TAMBÉM: São Paulo arranca empate e tira Vasco da liderança do Brasileirão

O comandante usa como argumento os duelos que restam ao Tricolor: contra Avaí, América-MG e Santos, no Morumbi, e Bahia, Atlético-PR e Palmeiras, como visitante. "Se olharmos para os nossos adversários, são dois ou três que correm risco de rebaixamento e clássicos contra o Palmeiras e o Santos sem preocupação. Temos que somar pontos", exigiu.

Nesse raciocínio, Leão definiu como bom "pensando no futuro" o 0 a 0 com o Vasco, então dono da primeira colocação, em São Januário nesse domingo. Discurso que parece ter convencido os atletas. Existe bastante relutância no elenco em admitir que a taça não passa de um sonho.

São Paulo é o sétimo colocado no Campeonato Brasileiro. Confira a classificação completa

"Nosso primeiro pensamento é a Libertadores. Temos que chegar e nos classificar. Mas, se algum time der brecha, por que não o título? Sabemos que é difícil, mas por que não?", indagou Denis ao desembarcar com a delegação são-paulina do Rio de Janeiro.

Até quem considera o empate em São Januário um tropeço mantém o otimismo. "Nosso pacto era de vitórias. Precisávamos ganhar os sete jogos. Mesmo assim, se somarmos 18 pontos, podemos brigar lá em cima porque vão tropeçar. Vamos lutar ao máximo pelo título", prometeu Marlos.

Ao menos no pensamento, em parte, Leão parece ter conseguido mexer com um elenco tido como apático pela direção antes de sua contratação. "O São Paulo se acostumou a grandes emoções na ponta da tabela e está abaixo do que pode", continuou cobrando o treinador, há uma semana no clube.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.