Felipe, Éder Luís, Carlos Alberto e Zé Roberto vão jogar juntos apenas pela segunda vez na partida deste domingo, contra o Corinthians

No meio do ano, o torcedor do Vasco chegou a sonhar com a conquista do título do Campeonato Brasileiro por conta do esforço da diretoria de contratar um quarteto ofensivo considerado top de linha. Felipe e Éder Luis chegaram a São Januário para compor o setor com Carlos Alberto e Zé Roberto. Porém, por conta de problemas envolvendo lesões, recuperação física dos atletas e suspensões, as estrelas vascaínas atuaram juntas apenas uma vez (no empate por 2 a 2 com o Fluminense, no primeiro turno).

Agora, se nada de anormal acontecer até domingo, os quatro estarão em campo no confronto diante do Corinthians, às 17h (de Brasília), no Pacaembu, em São Paulo, pela última rodada do Brasileirão. A possibilidade de atuarem juntos está deixando os jogadores vascaínas bem animados.

"É sempre muito bom poder jogar com atletas de qualidade e com certeza Felipe, Carlos Alberto e Zé Roberto são nomes que fazem a diferença e qualquer clube gostaria de contar com o futebol desses atletas. Acredito que com todos em campo teremos grandes chances de ganharmos esses dois últimos jogos e fecharmos o Brasileirão da melhor maneira possível", explicou Éder Luis.

Felipe concorda com o companheiro, mas lamenta o fato de o quarteto não ter se encontrado mais vezes durante a disputa do Campeonato Brasileiro. O camisa 6 entende que o fato poderia ter escrito uma história diferente para os vascaínos.

"Nós estamos felizes por podermos atuar juntos nestes dois últimos jogos, mas chateados porque os quatro não conseguiram se encontrar mais vezes em campo neste Brasileiro, pois sabemos que fomos contratados para fazermos a diferença e ajudarmos o clube a brigar pelo título ou pela vaga na Copa Libertadores. Agora só nos resta jogar bem essa reta final e fazermos uma grande pré-temporada", afirmou Felipe.

Os quatro jogadores deveriam atuar juntos há duas rodadas. O problema é que no empate por 1 a 1 com o São Paulo, Carlos Alberto amanheceu com uma virose e acabou sendo vetado pelo departamento médico. Como diante do Fluminense Felipe foi punido com o terceiro cartão amarelo, acabou virando desfalque na derrota de 3 a 1 para o Cruzeiro.

A definição da escalação que vai a campo diante do Corinthians só deverá acontecer no treino de sexta-feira, mas a presença do quarteto ofensivo é dada como certa. Além disso, o técnico PC Gusmão poderá contar com o retorno do volante Rômulo, outro que cumpriu suspensão diante dos cruzeirenses. Com 46 pontos conquistados o Vasco praticamente cumpre tabela no Campeonato Brasileiro, pois não tem mais chances de título ou de conquistar uma vaga na próxima Copa Libertadores, além de não correr risco de rebaixamento.

Fora de campo a diretoria acertou mesmo a permanência de Rodrigo Caetano, supervisor do departamento de futebol, que recusou propostas de Fluminense e de Grêmio para permanecer em São Januário. Com ele, PC Gusmão também deverá ser mantido, pelo menos até o fim de seu contrato, que se encerra com o Campeonato Carioca de 2011. Nos próximos dias o treinador deverá se reunir com Rodrigo Caetano e com o comando do departamento de futebol para discutir a situação do elenco para a próxima temporada. Como vários jogadores retornam de empréstimo e outros deverão ser dispensados, muitas mudanças deverão acontecer para o próximo ano. Até o momento o clube renovou apenas dos contratos que chegavam ao fim em dezembro. Foram os casos do goleiro Fernando Prass e do zagueiro Dedé.

Bastidores
Quem deverá deixar o Vasco é o vice-presidente geral, Cristiano Koehler, que deverá pedir seu afastamento por conta de problemas particulares, uma vez que sua mãe está doente. A informação foi divulgada pelo próprio presidente Roberto Dinamite, que lamentou a situação, mas reconheceu que a perda parece inevitável.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.