Tamanho do texto

Até as 20h, 700 ingressos tinham sido vendidos; comerciantes, flanelinhas e cambistas "sumiram" da porta do estádio

O fraco público que deve comparecer para assistir ao jogo entre Palmeiras e Coritiba no Pacaembu nesta quarta-feira praticamente acabou com o comércio informal na porta do estádio. 

Às 20h, quando os portões do local foram abertos, atividades como o comércio ambulante de bebida e comida, os cambistas e até mesmo os flanelinhas que guardam lugares na rua apareciam em número bem mais reduzido do que o normal. Na verdade, praticamente inexistiam.

Nesta quarta, o que mais se vê são pessoas que vão trabalhar no jogo, como organizadores da FPF (Federação Paulista de Futebol) e da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), policiais e pessoas da imprensa.

Pacaembu vazio há pouco menos de duas horas antes do início da partida
Danilo Lavieri
Pacaembu vazio há pouco menos de duas horas antes do início da partida

Até as 20h, um representante da FPF afirmou que foram vendidos de forma antecipada cerca de 700 ingressos, número um pouco inferior ao pior público da história do Palmeiras, que foi de 871, em 1973. As vendas até o fim do jogo, no entanto, devem bater essa quantidade.

O Palmeiras precisa vencer por 6 a 0 o Coritiba para levar o jogo para os pênaltis e aplicar uma goleada de sete ou mais gols de diferença para avançar direto à semifinal da Copa do Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.