Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Projeto Alex se torna tabu no Coritiba

Jogador sinaliza volta ao Brasil, mas clube foge das especulações para evitar novela ¿Ronaldinho-Grêmio¿

Altair Santos, iG Curitiba |

No final de maio, o meio-campista Alex, 33 anos, terá seu contrato encerrado com o Fenerbahçe. O jogador está no clube turco desde 2004 e, com a aproximação do fim do vínculo, postou recentemente em seu site oficial (www.alex10.com.br) que, diante do fato de não ter sido procurado para renovar, estaria aberto a receber propostas. Foi a senha para que surgissem notícias de que São Paulo, Palmeiras e Flamengo iriam repatriar o jogador. Ao mesmo tempo, o assunto virou tabu no Coritiba.

Getty Images
No Brasil, Alex é ídolo de Coritiba, Cruzeiro e Palmeiras. Na Turquia, é idolatrado no Fenerbahce

O motivo é um só: Alex já cansou de declarar que gostaria de encerrar a carreira no clube paranaense, para quem torce. Por outro lado, o Coritiba sonha em repatriar o jogador. O problema é equacionar a engenharia financeira para ter Alex. “Para viabilizar isso teríamos que fazer parcerias maravilhosas e de alto coturno. Não que o Coritiba não teria condições, mas é um trabalho muito delicado”, disse Ernesto Pedroso Jr., que integra o grupo gestor do clube.

Já vice-presidente Vilson Ribeiro de Andrade procurou, após o jogo contra o Cascavel, na quinta-feira, pôr uma pedra sobre o assunto. “É um sonho do Coritiba ter o Alex, mas não passa de um sonho. Ainda não temos como bancar sua transferência”, disse o dirigente. Procurado, Alex declarou, através de seu assessor de imprensa, Acaz Fellegger, que não iria dar declarações para não gerar ainda mais especulações. “Ele não vai colocar mais lenha na fogueira”, disse Acaz.

Alex promete que sua decisão será declarada através de seu site oficial, e no momento oportuno. Enquanto isso, nos bastidores do Coritiba comenta-se que há, sim, um "Projeto Alex". O problema é que o clube não quer incorrer no erro do Grêmio, que chegou a chamar a torcida para o estádio Olímpico, a fim de apresentar Ronaldinho Gaúcho, e viu o jogador acertar com o Flamengo. “Quem não quer o Alex? Agora, qual é o projeto? É muito delicado para o Coritiba emitir uma opinião na atual conjuntura”, acautelou-se Ernesto Pedroso Jr, sobre o tema.

A partir daí, o assunto ganha ares de tabu no clube. É só acompanhar a sequência da declaração de Pedroso Jr.. “É muito delicado da minha parte falar sobre o Alex. Isso é uma coisa que todo mundo gostaria. A torcida gostaria, a diretoria gostaria, todo o corpo associativo gostaria. Seria uma honra muito grande, mas oficialmente eu não sei de absolutamente nada, certo? E esta característica de emanar a vontade de ir e vir é do próprio jogador, não é do Coritiba. O Coritiba não pode entrar num momento deste, dizendo: nós queremos! Seria muita irresponsabilidade e muita vulgaridade da nossa parte uma coisa destas. Tem que esperar ele, o craque, dizer: eu quero ir para o Coritiba. Eu quero ajudar a viabilizar o projeto do Coritiba. Aí, é outro papo”, completa o dirigente.

Guardando as devidas proporções, trazer um ídolo como Alex poderia gerar no Coritiba um fenômeno de marketing e mídia semelhante ao causado por Ronaldo, no Corinthians, e Ronaldinho Gaúcho, no Flamengo. Também ajudaria o clube a atingir suas duas metas em 2011: chegar aos 25 mil sócios e alcançar o orçamento de R$ 100 milhões por ano. O projeto requer investimento, ousadia e uma dose de sigilo, do qual o Coritiba não abre mão.

Leia tudo sobre: coritibaalexmercado da bolaturquiamarketingreforço

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG