Tamanho do texto

Diretoria do Inter culpa jogadores pelo fiasco no Mundial de clubes. Futuro vice de futebol acha que alguns jogadores se esconderam

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882706195&_c_=MiGComponente_C

O presidente eleito do Internacional, Giovanni Luigi, disse na manhã deste quarta-feira em Abu Dhabi (madrugada no Brasil) que a tendência é Celso Roth permanecer no comando do time em 2011. O contrato do técnico acaba após o Mundial de clubes - o Inter disputa o terceiro lugar no sábado, 12h de Brasília, contra o perdedor de Inter de Milão, da Itália, e Seongnam Chunma, da Coreia do Sul, que se enfrentam nesta quarta-feira (15h de Brasília). Já o atacante  Alecsandro deve deixar o clube .

O trabalho do Celso [Roth] não pode ser avaliado por esse jogo. Foi uma noite infeliz de alguns jogadores, que não renderam o que esperávamos. A tendência, hoje, é que ele permaneça, mas não sou o presidente ainda e não posso atuar, disse Luigi, que assume no começo de janeiro no lugar de Vitório Píffero.

Vipcomm
Para futuro presidente, culpa do fracasso do Inter em Abu Dhabi não é de Celso Roth

Não foi só Luigi que preferiu culpar os atletas. O futuro vice-presidente de futebol, Roberto Siegmann, reclamou dos gols perdidos pelos atacantes. Não citou nomes, mas pareceu recado claro de que Alecsandro, que tem mais dois anos de contrato, não deve permanecer.

O Internacional teve ao menos seis chances de gol e não fez. O Mazembe teve duas e fez. É nessa hora que aparece quem decide. Quem é rato se esconde, disse o dirigente, que fará dobradinha no departamento com Fernando Carvalho, atual vice de futebol, que topou ficar mais seis meses atuando na área a pedido dos jogadores.

Luigi não deve conversar com Roth em Abu Dhabi, mas apenas no retorno a Porto Alegre. A delegação do Inter volta ao Brasil no domingo, chegando na segunda-feira à tarde.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.