Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Presidente do São Paulo afaga o Flamengo e joga culpa para a CBF

Juvenal Juvêncio elogia conquista do clube carioca em 1987, mas afirma que a Taça das Bolinhas fica no Morumbi

Gazeta |

Gazeta Press
Juvenal Juvêncio observa a Taça das Bolinhas, que o São Paulo recebeu nesta segunda-feira
Preocupado em manter a aliança política com o Flamengo, o presidente são-paulino Juvenal Juvêncio afirmou nesta segunda-feira que um acordo sobre o destino da Taça das Bolinhas poderia ter ocorrido há 14 anos, tendo o clube da Gávea como vencedor. O dirigente do São Paulo alega que o tal acordo não foi costurado por culpa de Ricardo Teixeira, presidente da CBF e seu desafeto.

Em 1997, foi assinado pelo Clube dos 13 um documento no qual todos os seus integrantes, incluindo o recém-integrado Sport, aceitavam a divisão do título brasileiro de 1987 entre o time pernambucano, que já era reconhecido pela CBF, e o Flamengo, campeão da Copa União organizada pelo Clube dos 13. A tentativa não foi adiante, segundo Juvenal, por causa da CBF.

O cartola são-paulino atacou também Kléber Leite, que era o presidente do Flamengo quando ocorreu a assinatura do documento, em 1997. Leite, como candidato de Teixeira na eleição do Clube dos 13 em 2010, foi derrotado por Fábio Koff, candidato apoiado por Juvenal Juvêncio e Patrícia Amorim, atual presidente do clube carioca.

"O Kléber Leite falou que o Sport só entraria no Clube dos 13 se reconhecesse o Flamengo como campeão brasileiro. Dissemos a ele: 'nada disso'. Propusemos, então, a divisão, mas a CBF não quis", relembrou Juvêncio, deixando claro que respeita o clube da Gávea. "O Flamengo lutou no campo e quero respeitar o Flamengo. Consegui falar com a Patrícia e mandei um e-mail reconhecendo a sua luta."

A CBF ainda não divulgou sua posição sobre a liminar obtida pelo Flamengo, obrigando a entidade e a Caixa Econômica Federal, responsável pela Taça das Bolinhas, a pagarem R$ 500 mil ao clube carioca caso o troféu fosse entregue ao São Paulo - o que ocorreu na manhã desta segunda.

Para reforçar a política de boa vizinhança com o Flamengo, o São Paulo até publicou em seu site oficial um documento com três páginas enviado a Patrícia Amorim. A carta explica que Juvenal Juvêncio foi receber a Taça das Bolinhas como uma obrigação pelas conquistas do clube. Mas a agremiação reconhece o Flamengo como campeão brasileiro de 1987 por ter conquistado "brilhantemente nos gramados do país" a Copa União.

O mandatário do São Paulo, no entanto, se gabou da conquista. "Primeiro vou exibir a taça, me deliciar com ela e fazer um merchandising. Depois, preciso arrumar um lugar para guardá-la, já que a nossa sala de troféus está cheia."

Já o capitão Rogério Ceni preferiu não entrar na polêmica. O goleiro, na verdade, valorizou a união dos dois clubes, reforçada nas eleições do Clube dos 13 no anos passado. "O São Paulo e o Flamengo estão juntos em favor do futebol do nosso país. Espero que nada atrapalhe isso", comentou.

Leia tudo sobre: São PauloFlamengo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG