Tamanho do texto

Em tratamento médico, Luiz Gonzaga Belluzo fez novo pedido de licença, até 25 de novembro, quando deverá retornar ou renunciar ao cargo

O presidente eleito do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzo, vai prolongar seu descanso por mais 15 dias. O dirigente decidiu apresentar ao Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do clube um pedido de licença até o dia 25 de novembro.

Como a reportagem antecipou na semana passada, o estatuto do Palmeiras permite a ausência de seu presidente eleito por até 60 dias. Belluzzo fez o primeiro pedido de ausência no dia 27 de setembro para cuidar de um delicado problema cardíaco, que o obrigou até a realizar uma cirurgia no Hospital Sírio-Libanês.

No dia 25 de novembro, Belluzzo será obrigado a tomar uma decisão definitiva: retornar ou renunciar ao cargo. O dirigente ainda tem a opção de voltar às funções por mais alguns dias e pedir uma nova licença, o que na prática também seria uma forma de abandonar a presidência.

Belluzzo enfrenta uma resistência familiar para reaver suas funções no Palmeiras. Por conta do desgaste físico e psicológico, o dirigente já havia descartado concorrer a um novo mandato de dois anos na eleição do mês de janeiro.

No momento, o Palmeiras está sob o comando de Salvador Hugo Palaia, primeiro vice eleito em 2009. Aliás, ele foi responsável por uma mudança radical no departamento de futebol alviverde, já que nomeou um Conselho Gestor para cuidar dos interesses do clube.