apequenou - Futebol - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Presidente do Inter responde a provocação e diz que Grêmio se apequenou

Rivalidade entre os clubes gaúchos fez gremistas citarem eliminação do Inter na posse da nova diretoria. Dirigente também respondeu a Lúcio, da Inter de Milão

Marcel Rizzo, enviado iG a Abu Dhabi |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882809168&_c_=MiGComponente_C

O presidente do Internacional, Vitório Píffero, respondeu nesta quinta-feira as provocações do rival Grêmio com relação à eliminação colorada na semifinal do Mundial de clubes para o surpreendente Mazembe, da República Democrática do Congo. Na posse da nova diretoria gremista, na noite de quarta-feira no Brasil, o novo presidente Paulo Odone disse que prefere não chegar ao Mundial do que perder para uma equipe sem tradição.

Na década de 30, o Assis Chateaubriand, grande jornalista, estava lá na Paraíba e precisava chamar a atenção dos grandes centros. Por isso ele provocava personalidades do Rio e de São Paulo. Comparo o Grêmio a isso. Eles precisam provocar o grande, disse Píffero, na recepção do hotel no qual a delegação está hospedada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. O Inter enfrenta o Seongnam, da Coreia do Sul, sábado (12h de Brasília), na disputa pelo terceiro lugar do Mundial.

Com certeza é apequenamento (sic) do clube. Vocês jamais verão o presidente do Inter falando algo do Grêmio. Como disseram, se você está em Dubai você não cai. Estamos em Abu Dhabi, mas é tudo Emirados Árabes, disse Píffero, que acabou não agüentando e provocou o adversário, rebaixado em 2005 para a Série B do Campeonato Brasileiro.

O dirigente também falou sobre as declarações do zagueiro Lúcio, da Inter de Milão. Depois de vencer o Seongnam, o ex-atleta do Internacional disse que o clube brasileiro menosprezou os africanos e fez festa antes da hora. Ele citou a presença de 27 mil torcedores no estádio um dia antes do embarque para Abu Dhabi.

Ele (Lúcio) está mal informado. A torcida foi lá para ver um filme (Absoluto,m que conta a história do título mundial de 2006) e não para festejar uma conquista que nem tínhamos, disse Píffero.

O clima de velório continua no hotel em que o clube está hospedado e o curioso é que continuam chegando torcedores, que compraram pacotes apenas para ver a última partida, imaginando que seria a final contra a Inter de Milão. Os italianos enfrentam na decisão o Mazembe,  às 15h de Brasília de sábado.

Leia tudo sobre: grêmiointernacionalmundial de clubes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG