Tamanho do texto

Maurício Assumpção discorda de decisão da Junta de Julgamentos e Recursos e destaca feitos do ex-cartola

Um dia após divulgar nota explicando que a decisão de expulsar o ex-presidente do Botafogo, Bebeto de Freitas, ainda pode ser revogada pelo Conselho Deliberativo, o presidente do clube carioca, Maurício Assumpção, voltou a se pronunciar, defendeu o ex-dirigente das acusações e declarou apoio, esperando que sua saída do quadro social seja revista.

A decisão foi tomada pela Junta de Julgamentos e Recursos do Botafogo, orgão que é independente do clube. Sem citar diretamente as acusações contra o ex-presidente, que não teria explicado gastos que somam R$ 1,5 milhão em seu último ano no clube, 2008, Assumpção lembrou os feitos de Bebeto e comparou os problemas que enfrentou quando assumiu a presidência da equipe carioca.

"Respeito, mas não concordo com a punição. Estou há dois anos e meio à frente do Botafogo e reconheço as dificuldades enfrentadas pelo ex-presidente Bebeto de Freitas porque várias delas também enfrento. Ele comandou o clube durante seis anos e marcou sua gestão com importantes conquistas, como o retorno à série A, a concessão do Estádio Olímpico João Havelange e o resgate da credibilidade do clube com a atração de grandes parceiros", diz o comunicado, que continua.

"Além disso, sua gestão foi responsável pela estruturação dos departamentos do clube. Muito dessas estruturas física e pessoal foram fundamentais para os resultados administrativos que conquistamos hoje", disse o presidente em nota no site oficial do clube.

Outro representante da atual gestão, vice de patrimônio, Francisco Fonseca, também saiu em defesa do ex-presidente, inclusive dizendo que votará contra a expulsão na reunião do Conselho Deliberativo.

"Fui vice de Esportes Aquáticos em toda a gestão Bebeto e acompanhei de perto o crescimento do clube. Me considero também afetado por esta decisão. Estou aguardando sua apreciação na próxima reunião do Conselho Deliberativo para votar contra. Esse episódio somente prejudica a imagem de um clube centenário e glorioso como o nosso", disse.

Por outro lado, o presidente da Junta de Julgamentos e Recursos, Jorge Ribeiro, afirmou que o posicionamento é uma tentativa de interferência em um poder independente do clube. "Não li o comunicado ainda e não sei o teor da nota, mas me parece uma tentativa de interferência em um dos poderes do clube, que inclusive é independente. Apenas julgamos o caso apresentado após auditoria do Conselho Deliberativo. Agora se a decisão será retificada pelo Conselho eu não sei, apenas fizemos nossa parte", declarou Ribeiro.