Tamanho do texto

Jogador havia sido suspenso por 15 jogos devido a uma greve que causou o cancelamento de amistoso contra a Argélia

O presidente de Camarões, Paul Biya, interveio nesta quarta-feira em favor do atacante Samuel Eto'o , punido pela federação de futebol do país com 15 partidas de suspensão por uma greve que liderou em novembro passado , provocando o cancelamento de um amistoso contra a Argélia.

Leia também: Eto'o é suspenso por 15 jogos na seleção de Camarões

Fontes da Federação Camaronesa de Futebol (Fecafut), que pediram para não serem identificadas, informaram que Biya telefonou para o presidente da entidade, Iya Mohammed, no começo desta semana, para pedir uma revisão da punição.

Ainda de acordo com uma das fontes, a Fecafut se reunirá na próxima sexta-feira para discutir o caso.

Além disso, um integrante do escritório do primeiro-ministro de Camarões, Philemon Yang, disse à agência Efe nesta quarta que o premiê recebeu Mohammed rapidamente com o único propósito de falar sobre Eto'o e para que a suspensão do atleta do Anzhi seja revista.

Segundo a fonte da Fecafut, na sexta, o Comitê Executivo do organismo poderá reduzir o número de partidas durante as quais o atacante permanecerá suspenso ou até anular a medida disciplinar.