Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Preparador de goleiros do Fluminense sai em defesa de Berna

Victor Hugo afirma que não foi uma falha técnica no lance que originou o gol de empate do Libertad

iG Rio de Janeiro |

Vestir a camisa número 1 do Fluminense não tem sido uma tarefa fácil. Principalmente depois que Paulo Vitor deixou às Laranjeiras, no fim dos anos 80. De lá para cá quem se aventurou na posição sofreu com críticas, vaias e até ameaças, como foi o caso de Ricardo Pinto. Titular da equioe, Ricardo Berna é a bola da vez. Mas o técnico Enderson Moreira não foi o único que poupou o goleiro no lance que originou o gol de empate do Libertad. Maior especialista no assunto no clube, o preparador de goleiros Victor Hugo também saiu em defesa do goleiro tricolor.

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

“O jogador já apareceu sozinho no lance. Eu costumo falar para que eles não são bombeiros, são goleiros. Não foi falha técnica, foi uma reação até positiva por parte dele de tentar chegar em uma bola que não era dele. Mas no final as pessoas reconheceram e ele fez uma defesa importante, que nos deixou em uma posição confortável. A grande maioria do estádio reconheceu isso e gritou o nome do Ricardo. Ele se entrega muito para o clube e ficou chateado, reação normal do ser humano, mas amanhã (sábado) vamos ter uma conversa e isso já vai estar superado”, afirmou Victor Hugo em entrevista à Rádio Brasil.

Mas o preparador de goleiros do Fluminense lembrou que essa não foi a primeira e nem será a última que Ricardo Berna será questionado. Victor Hugo lembra que ele também foi criticado pelos torcedores contra o Nacional e o Flamengo, no domingo passado e sempre se superou.

“No lance do Fla-Flu foi muita qualidade do Thiago Neves. Já contra o Nacional e o de ontem foram bem parecidos, em função de o atleta querer chegar em uma bola que não é dele. Todas as duas bolas não eram do goleiro. Ele não tinha condição de chegar, mas tentou dar um passo à frente, e parou. O torcedor, na emoção, acha que o atleta deveria ter chegado, mas não sabe que não tinha condição nenhuma de chegar. O único problema é que, quando ele se move, acaba trazendo a responsabilidade para si”, explicou.

Segundo o preparador de goleiros a ação da torcida e a reação do goleiro são absolutamente normais e por isso ele aproveitou para avisar que Ricardo Berna está com a cabeça boa para o jogo de volta e que não há qualquer necessidade de mudança no gol tricolor.

“Não vejo nenhum motivo para uma troca de goleiros. O Ricardo vem em um momento muito bom. Lógico que sempre quem escala é o treinador, quando perguntado dou minha opinião, mas não vejo motivo para isso”, disse Victor Hugo.
 

 


 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG