Com os titulares, goleiro acredita que time pode vencer Aurora no jogo de volta, dia 26, em São Januário

Após a derrota por 3 a 1 para o Aurora da Bolívia , pela Sul-Americana , a classificação ficou difícil. Mas não impossível. Para passar de fase, o time precisa vencer por 2 a 0 ou por qualquer placar acima de três gols de diferença. A vantagem vascaína, na opinião do goleiro Fernando Prass , é que no jogo de volta, dia 26, em São Januário, o time terá sua força máxima.

Siga o Twitter do iG Vasco e receba notícias do time em tempo real

“Levamos dois gols praticamente na mesma situação porque o time não teve tempo para treinar direito. Faltou entrosamento. Agora é lutar para reverter em casa. A gente sabe que o adversário é forte aqui dentro, mas no Rio sabemos do nosso potencial”, declarou o camisa 1 do Vasco, reconhecendo que o time sentiu os efeitos da altitude de 2.560 metros no fim da partida.

O técnico interino Cristóvão Borges fez coro com o goleiro. O treinador disse também que o Vasco pagou o preço da falta de entrosamento. Mas gostou do que viu. Mesmo com uma equipe que entrou em campo apenas com Prass e Fágner como titulares, ele destacou o comprometimento dos reservas.

“Gostei do espírito de luta. Estou satisfeito com o rendimento da equipe, pois jogamos de igual para igual. O resultado pode não ter sido bom, mas o que eles fizeram aqui foi de bom tamanho”, observou Cristóvão.

O Vasco agora volta suas forças para o Campeonato Brasileiro . Líder da competição com 50 pontos, a equipe enfrenta o Internacional , domingo, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Para esta partida, Cristóvão deve ter a volta de Felipe , recuperado de uma artroscopia no joelho direito . O meia deve atuar no lugar de Juninho Pernambucano , que vai desfalcar a equipe por duas semanas em razão de um estiramento na panturrilha esquerda.

Entre para a Torcida Virtual do Vasco e comente as chances de classificação no Rio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.