Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Possível reforço, Juan supera Richarlyson nos números e na disciplina

Mesmo com má campanha do Flamengo em 2010, lateral-esquerdo teve desempenho melhor que o dono da posição no São Paulo

Levi Guimarães, iG São Paulo |

Antes mesmo do final do Campeonato Brasileiro, o técnico Paulo César Carpegiani já admitia que a lateral-esquerda seria uma prioridada na busca por reforços para 2011. Com a dispensa de Juan pelo Flamengo, ele passou a ser o favorito para a posição que em 2010 foi de Richarlyson, originalmente volante, mas que foi improvisado após a contusão de Júnior César.

Caso aconteça, essa troca promete ser positiva para o time paulista. Pelos números do Footstats, Juan foi melhor que Richarlyson ao longo do Campeonato Brasileiro na maioria dos critérios observados. Nos cruzamentos, por exemplo, um fundamento considerado básico para um lateral, o ex-flamenguista superou o ex-são-paulino com uma média de 3,5 contra 1,7 por partida.

Outros itens nos quais Juan leva vantagem são os desarmes (média de 2,9 por jogo, contra 2,3 de Richarlyson), dribles (1,5 contra 1,1), passes certos (45,9 contra 36,7), perdas de bola (3,7 contra 4,1) e posse de bola (2:09 minutos contra 1:36).

Nas assistências, os dois ficaram empatados com três no total ao longo do campeonato. E nas finalizações, Richarlyson teve melhor média (0,4 por jogo, contra 0,2), mas não marcou nenhum gol, enquanto Juan marcou um. Apenas nos lançamentos o ex-são-paulino foi, de fato, melhor: 5,9 por jogo, contra 4,6.

Contudo, dadas as campanhas irregulares tanto do São Paulo como do Flamengo, talvez a principal diferença entre os dois jogadores tenha sido em relação à disciplina. Juan participou de 33 dos 38 jogos do Brasileirão, enquanto Richarlyson esteve em apenas 26, principalmente por conta do alto número de suspensões.

Juan ficou fora de apenas duas partidas por suspensão, já que recebeu seis cartões amarelos no torneio e nunca foi expulso. Já Richarlyson se ausentou de sete partidas apenas por suspensões automáticas (12 cartões amarelos e 3 vermelhos), além de mais duas ausências após punições impostas pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

Para completar, em outro fator que pode influenciar diretamente o resultado de uma partida, Juan também foi melhor. Ele não cometeu nenhum pênalti ao longo do Brasileirão, enquanto Richarlyson fez dois, contra Goiás (derrota por 2 a 1) e Fluminense (empate por 2 a 2).

Leia tudo sobre: campeonato brasileirofutebolsão paulo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG