Aos gritos de 'Arerê, a Lusa nunca mais na Série B', os comandados de Jorginho passaram fácil pelo Duque

Torcedor da Portuguesa, o maestro João Carlos Martins tocou o Hino Nacional antes do jogo
AE
Torcedor da Portuguesa, o maestro João Carlos Martins tocou o Hino Nacional antes do jogo
A Portuguesa teve uma noite de festa nesta sexta-feira, na sua despedida do Canindé em 2011. Contando mais uma vez com o apoio da torcida, presente em bom número na arquibancada no estádio, e aos gritos de "Arerê, a Lusa nunca mais na Série B", os comandados de Jorginho passaram com fáceis 4 a 0 pelo lanterna Duque de Caxias .

Confira como ficou a classificação da Série B

Com o resultado, a Lusa chegou a 80 gols no torneio, superando a antiga marca de 79 gols do Corinthians de 2008, ocupando agora o posto de melhor ataque da história da Série B, restando ainda uma partida para o encerramento da sua participação.

A vitória também elevou os rubro-verdes para 78 pontos conquistados na liderança isolada da competição. Do outro lado, literalmente, os fluminenses ficam com 16, na lanterna.

Veja também: Jorginho anuncia que fica, mas exige boa estrutura

A equipe paulista sela a sua excelente campanha na segunda divisão no próximo dia 26, diante do Icasa, em Juazeiro do Norte, enquanto o Duque, no mesmo dia, recebe o Boa no estádio Giulite Coutinho, já com a cabeça na Série C de 2012.

O Jogo
Os donos da casa, inspirados pelo hino brasileiro tocado no piano e pelo incentivo dos presentes ao Canindé, foi logo querendo decidir o resultado. Após pressão inicial, o gol inaugural saiu após cobrança de escanteio, quando Renato aproveitou falha na marcação e bateu firme, de primeira, para marcar.

O time da casa, sem ser incomodado, manteve o ritmo forte na marcação e na pressão da saída de bola dos fluminenses, que não se encontravam dentro de campo (e do campeonato, diga-se de passagem).

E o segundo tento não demorou muito a sair. Primeiro, Marcelo Cordeiro bateu firme de fora da área e levou perigo. Pouco depois, após boa jogada pela direita, Ananias apareceu livre na área e só concluiu para as redes.

Os anfitriões apenas administraram a vantagem até a etapa final, quando mais uma vez mostraram um ritmo avassalador nos minutos iniciais. Com apenas sete minutos, Cordeiro deu lindo passe entre os zagueiros para Guilherme, que dominou com a perna direita e bateu rápido com a esquerda, vencendo o goleiro Thiago.Os visitantes chegaram a ameaçar Weverton em dois lances: Abedi arriscou de fora da área e mandou raspando a trave do arqueiro lusitano. Depois, Bruno Veiga recebeu livre em contra-ataque e tocou, mas parou em bela defesa do goleiro.

Entre para a Torcida Virtual da Portuguesa e comente a festa pelo título

Porém, como diz o ditado, quem não fez tomou. E em grande estilo. Um dos melhores em campo, Marcelo Cordeiro chegou na linha de fundo, rolou para Ananias chutar rasteiro. A bola saiu fraca e Henrique desviou. Na pequena área, Edno ainda dominou e tocou para complementar a trama inusitada.

FICHA TÉCNICA
PORTUGUESA 4 X 0 DUQUE DE CAXIAS

Local: Estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Data: 18 de novembro de 2011 (sexta-feira)
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA)
Assistentes : Erich Bandeira (Fifa-PE) e Raimundo de Oliveira (BA)
Gols: Renato, aos cinco, Ananias, aos 15 do primeiro tempo, Guilherme, aos sete, e Edno, aos 26 minutos do segundo tempo

PORTUGUESA: Weverton; Luís Ricardo, Leandro Silva, Renato e Marcelo Cordeiro (Rai); Boquita (João Neto), Guilherme, Henrique, Marco Antônio e Ananias (Júnior Timbó); Edno
Técnico : Jorginho

DUQUE DE CAXIAS: Thiago; Fábio Augusto, Bruno Costa, Bruno Neves (Raphael Augusto) e Jorbson; Douglas Pedroso, Juninho (Jefinho), Leandro Teixeira (Marcinho) e Abedi; Erick Flores e Bruno Veiga
Técnico: Mário Marques

Entre para a Torcida Virtual da Portuguesa e comente a festa pelo título

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.