Falcao derrubou a retranca adversária e decidiu o jogo no fim do primeiro tempo. Agora, time espera a final da Taça de Portugal

O Porto fez valer seu favoritismo, venceu o Braga por 1 a 0 e conquistou o título da Liga Europa nesta quinta-feira, em Dublin. Atual campeão português, o time portista caminha rumo a uma temporada perfeita. Para assegurar a tríplice coroa, basta vencer o Vitória de Guimarães no próximo domingo, na final da Taça de Portugal.

A vitória, porém, não foi fácil. Contra um adversário bem postado na defesa, o Porto teve trabalho para criar lances de perigo. O gol decisivo saiu num dos únicos erros do Braga, aos 44 minutos do primeiro tempo. Falcao Garcia aproveitou e cabeceou para decidir a Liga Europa.

Títulos à parte, os números do Porto impressionam nesta temporada. Nas três principais competições que disputa, o time acumula 44 vitórias, quatro empates e apenas três derrotas. Os tropeços aconteceram diante de Benfica, na Taça de Portugal, Sevilla e Villarreal, ambos na Liga Europa. O Porto ainda fez o artilheiro da Liga Europa, Falcao Garcia, com 17 gols. No Campeonato Português, a honra coube a Hulk, goleador com 23 gols.

A possível conquista dos três títulos é um bom sinal para o Porto. Em 2002/03, a equipe colecionou as mesmas três taças, quando a Liga Europa ainda era Copa da Uefa. A base foi mantida para a temporada seguinte, e o Porto foi então campeão da Liga dos Campeões pela segunda vez em sua história. Agora, a diretoria tem uma missão: resistir ao assédio sobre seus principais jogadores, reforçar posições carentes e buscar o terceiro título da Liga dos Campeões.

Helton ergue a taça, com Falcao à sua esquerda e Hulk à direita, coberto pela bandeira brasileira
AFP
Helton ergue a taça, com Falcao à sua esquerda e Hulk à direita, coberto pela bandeira brasileira

O jogo
O Porto não conseguiu impor seu futebol no primeiro tempo. Encolhido na defesa e bem armado, o Braga soube controlar o adversário. Hulk e Falcao Garcia, as maiores armas portistas, sumiram diante da marcação. O brasileiro só tocou na bola numa cobrança de falta da intermediária, mas mandou por cima do gol. Já o colombiano tentou aproveitar duas jogadas pelas pontas, mas os cruzamentos não chegaram.

Com os atacantes bloqueados, Guarín tornou-se a principal opção ofensiva do Porto. Num lance individual, ele conseguiu desmanchar a defesa do Braga em jogada veloz pela faixa central do gramado, mas adiantou demais a bola, cometeu falta e estragou o lance. O jogo, então, caminhava para o intervalo sem maiores emoções.

Aos 44 minutos, aparentemente satisfeito com seu desempenho defensivo, o Braga vacilou. Guarín teve liberdade para pensar o jogo na intermediaria, viu Falcao se enfiar entre os zagueiros e fez um passe perfeito. O colombiano, completamente livre, cabeceou com precisão e abriu o placar.

O Braga não se deixou abater pelo gol e voltou mais ousado na segunda etapa. Trocou a defesa pelo ataque, e o Porto sofreu. Substituto de Hugo Viana, o brasileiro Márcio Mossoró partiu com tudo para cima da defesa após o apito inicial. Quase empatou o jogo, mas Helton saiu nos pés do compatriota e fez ótima defesa.

A vantagem magra no placar, a pressão adversária, o título ameaçado... Nada despertava o Porto. Distante do futebol quase perfeito do resto da temporada, o time abdicou do ataque, se fechou na defesa e atraiu o adversário para seu campo de defesa. Não chegou a sofrer muito, já que o ataque do Braga mostrou-se ineficiente.

A entrada de Belluschi deu um pouco de ânimo ao Porto, e o argentino quase fez o segundo gol aos 40 minutos. O chute, de dentro da área, saiu para fora. E, no final, não fez falta ao Porto, que segurou a vantagem magra até o final e levantou o troféu pela segunda vez em sua história, a primeira desde que a Copa da Uefa virou Liga Europa.

FICHA TÉCNICA - PORTO 1 x 0 BRAGA

Local: Arena Dublin, em Dublin (Irlanda)
Data: 18 de maio de 2011
Horário: 15h45 (Brasília)
Árbitro: Carlos Velasco Carballo (ESP)
Assistentes: Roberto Alonso Fernández (ESP) e Jesús Calvo Guadamuro (ESP)
Assistentes adicionais: Carlos Clos Gómez (ESP) e Antonio Rubinos Pérez (ESP)
Cartões amarelos: Helton e Sapunaru (POR); Miguel Garcia, Sílvio, Hugo Viana, Márcio Mossoró, Kaká (BRA)

Gol : Falcao, aos 44 minutos do primeiro tempo

PORTO : Helton; Sapunaru, Rolando, Otamendi e Alvaro Pereira; Fernando, Guarín (Belluschi) e João Moutinho; Hulk, Falcao e Varela (James Rodríguez). Técnico: André Villas-Boas

BRAGA : Artur; Miguel Garcia, Paulão, Alberto Rodríguez (Kaká) e Sílvio; Vandinho, Custódio e Hugo Viana (Márcio Mossoró); Alan, Lima (Meyong) e Paulo César. Técnico: Domingos Paciência

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.