Tamanho do texto

Time português precisava da vitória no estádio do Dragão para ir às oitavas. Apoel perde, mas avança em primeiro no grupo

AP
O Porto, do brasileiro Hulk, e o Zenit fizeram duelo direto por vaga nas oitavas da Liga dos Campeões
O Porto decepcionou os torcedores no estádio do Dragão nesta terça-feira. Mesmo impondo uma enorme pressão sobre o Zenit durante os 90 minutos de partida, a equipe dos brasileiros Fernando, Hulk e Kleber não conseguiu tirar o zero do placar e acabou eliminado da Liga dos Campeões.

Comandados pelo colombiano James Rodriguez e pelo brasileiro Hulk, os anfitriões se mantiveram durante quase todo o tempo no campo do adversário, sendo ameaçados apenas em alguns contra-ataques puxados por Danny, vaiado sempre que tocava na bola.

Veja também: Milan acerta com Tevez e agora negocia com o City, diz jornal

A melhor chance veio logo aos seis minutos, quando Djalma apareceu solto no ataque e chutou firme, exigindo belíssima defesa de Malafeev. Em pelo menos outras três oportunidades, o angolano, Hulk e Rodríguez acabaram sendo travados na hora do chute pela defesa.

No segundo tempo, mais do mesmo. Pressão incessante dos donos da casa, com as entradas de Kleber, Varela e Belluschi, colocando os russos encolhidos em seu campo. Mais uma vez porém, Malafeev foi o destaque.

Na melhor chance, novamente Djalma recebeu na frente após linda tabela de Kleber e James Rodríguez e bateu firme, mas mandou para fora. João Moutinho, em dois chutes de fora da área, também levou perigo, mas não conseguiu marcar.

Com o resultado, os portistas ficaram com oito pontos conquitados, na terceira colocação do grupo G, tendo que se contentar agora com a Liga Europa. Zenit, com nove, mesmo número do APOEL, ficou em segundo devido à desvantagem no confronto direto com os cipriotas, líderes. O Shakhtar, com cinco, ficou com a lanterna.

Apoel perde para Shakhtar, mas passa em primeiro
Jogando no Chipre diante do único eliminado do grupo G, o Apoel fez o seu pior primeiro tempo na competição. Talvez relaxado pela classificação, o time da casa foi totalmente dominado pela legião brasileira do Shakhtar Donetsk, que só não foi ao intervalo em vantagem pelas chances perdidas por Willian e Fernandinho, além do pênalti desperdiçado por Luiz Adriano.

Na segunda etapa, porém, o gol finalmente saiu. Willian desceu bem pela esquerda, serviu Shevchuk e este achou Luiz Adriano livre na área, tendo o trabalho de apenas empurrar para dentro das redes, aos 17 minutos. Aos 33, Seleznyov aproveitou rebote de uma bomba de Fernandinho para selar o triunfo.